“A água o levou, mãe”, disse o irmão de um menino que desapareceu em um rio – Capital


Com o nível do rio mais baixo, o concreto onde a criança estava apareceu novamente. (Foto: Kísie Ainoã)

Quase 24 horas após o início da busca, o menino de 8 anos desapareceu nas águas do rio Anhanduí, em Campo Grande, ainda não localizado. Ele estava no local com os dois irmãos, quando foi levado por uma “cabeceira d’água”, fenômeno que se caracteriza pelo súbito aumento do nível de um rio, devido às chuvas nas cabeceiras do curso d’água.

Na tarde de sábado (5), a mãe do menino de 38 anos contou a história que não sabia que o filho estava no rio com os irmãos. “Meu filho falou ‘a água levou meu irmão, mãe’. Aí eu descobri que ele estava no rio. Para mim, ele estava no quarto. Eu não o deixaria na beira de um riacho. Ele tem 8 anos , mas pequeno “, disse ele.

A dona de casa passou a noite na casa do irmão, perto do rio, esperando notícias do filho. Hoje, ela e outros familiares também acompanham o trabalho do Corpo de Bombeiros.

“Ainda espero que meu filho esteja vivo. Às vezes ele está num hospital, inconsciente, e não consegue dizer quem são o pai e a mãe. Alguém pode tê-lo encontrado”, disse a mãe.

Durante a manhã, dois militares do Corpo de Bombeiros fizeram uma “varredura” na área, percorrendo 11 quilômetros de rio, mas o menino não foi localizado e o mesmo caminho foi refeito.

O caso – O menino, acompanhado dos irmãos de 13 e 15 anos, além de outra criança de 12 anos, estava em uma estrutura de concreto no meio do rio, quando o nível da água subiu repentinamente.

O tio dos meninos, de 36 anos, conseguiu tirar o menino de 13 anos da água com uma corda. O menino de 12 anos saiu sozinho.

A criança e o irmão mais velho foram levados pela corrente, mas o adolescente conseguiu se salvar.

.