A vacina Pfizer Covid usa tecnologia chamada RNA mensageiro; veja como funciona | Jornal Nacional


A vacina aprovada no Reino Unido usa uma técnica revolucionária. O Centro de Design da Globo preparou uma animação que explica o porquê.

O coronavírus parou o planeta com sua imensa capacidade de disseminação e extrema agressividade.

Dentro de nosso corpo, o coronavírus usa as pontas para se encaixar perfeitamente no receptor de uma célula. O mecanismo funciona como uma chave que abre uma fechadura e quebra a parede celular.

Por dentro, ele se multiplica muito rapidamente, sugando energia da célula. Milhares de novos vírus estão atacando para destruir outras células.

Na verdade, nosso corpo está permanentemente em espera contra as milhares de invasões que sofremos o tempo todo. Nosso sistema imunológico, formado por células linfáticas, começa a reagir assim que é atacado.

Os macrófagos atacam invasores e disparam sinais de alarme para outras células de defesa.

Essa barreira inicial geralmente não é suficiente para conter o intruso. Entra em ação uma parte de nosso sistema imunológico focada em identificar precisamente cada invasor e atacá-lo.

As células dendríticas iniciam o trabalho. Eles são como especialistas em inteligência. Eles recolhem pedaços do invasor, resultantes da batalha inicial, e os levam até os linfócitos T, responsáveis ​​pela comunicação no sistema imunológico. Os linfócitos T ativam os linfócitos B e os ensinam a produzir anticorpos.

Finalmente, a arma molecular pronta para derrotar o vilão que assola nosso corpo está pronta.

Acontece que todo esse processo pode demorar e quando o anticorpo finalmente estiver pronto, a doença pode ter avançado muito, tornando-se irreversível.

É por isso que a vacina é essencial. Isso vai despertar nosso sistema imunológico e antecipar o processo de produção de anticorpos. Desde o início da pandemia, mais de 100 grupos de cientistas em todo o mundo estão empenhados na busca pela vacina.

A vacina produzida pela Pfizer com a BioNTech utiliza a tecnologia chamada RNA mensageiro, diferente das tradicionais.

Nesse caso, a vacina leva uma cópia de parte do código genético do vírus ao nosso corpo. É uma espécie de mensagem, uma receita para o nosso corpo produzir uma proteína do vírus. A presença dessa proteína desencadeia a produção de anticorpos.

Economiza-se tempo que pode ser decisivo nessa luta de vida ou morte. Se o vacinado se infectar, terá um exército de anticorpos pronto para neutralizar a coroa, evitando sua multiplicação.

Só a vacina pode nos devolver a sensação de que a vida que conhecíamos está recuperada. Por fim, será a volta dos abraços.