Anvisa estuda uso emergencial sem registro


A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) estuda autorizar o uso emergencial de uma vacina contra a covid-19 sem a necessidade de registro, afirmou hoje fonte com conhecimento direto no assunto.

A possibilidade foi revelada inicialmente pelo jornal O Globo e confirmada pela agência Reuters com uma fonte.

A medida em estudo, segundo o jornal, permitiria que uma vacina fosse aplicada a grupos específicos de pessoas enquanto os laboratórios normalmente continuam suas pesquisas em busca de aprovação regulatória no Brasil.

No momento, no Brasil existem quatro vacinas em fase final de testes, desenvolvidas pelas seguintes empresas: AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford; Pfizer, em parceria com BioNTech; Johnson & Johnson, por meio da subsidiária Janssen, e CoronaVac, do laboratório Sinovac.

Procurada, a Anvisa não teve uma posição imediata sobre o assunto.