Após cerca de 9 horas, Omertà apreende documentos na sede do Pantanal Cap


O Gaeco (Grupo de Ação Especial e Combate ao Crime Organizado), do Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul, apreendeu documentos na sede da empresa de capitalização Pantanal Cap, em Campo Grande, em uma nova fase da Operação Omertà. Após cerca de nove horas no local, um policial saiu com a mochila cheia, por volta das 14h30, pegou mais três bolsas vazias no veículo e voltou para o prédio.

A equipa está presente desde o amanhecer para a execução de mandados de busca e apreensão e para encerrar a empresa. A ação é realizada em conjunto com a Garras (Delegacia Especializada de Supressão a Assaltos a Banco, Assaltos e Sequestros), da Polícia Civil, como desdobramento da obra lançada em setembro do ano passado, para desmantelar organização criminosa ligada a execuções de rivais .

Na ocasião, foi apurado que o Nome Jamil e o filho Nome Jamil estavam envolvidos em um arsenal apreendido em residência no Jardim Monte Líbano, que teria sido utilizado nos assassinatos. Após a prisão, as investigações levaram a outros envolvidos, bem como fizeram ligações com o jogo do bicho, esquemas de agiotas e chegaram mesmo ao Cabo Pantanal. O deputado Jamilson Name, filho de Jamil Name, também foi mandado de busca e apreensão.

Pantanal Cap

Na quarta fase do Omertà, denominado Black Cat, fvárias barracas são seladas, pontos de venda de Pantanal Boné e alguns também do jogo do bicho. A partir da apreensão de documentos para constituição de provas, teria-se desenvolvido esta nova fase da operação, que visa a empresa que comercializa títulos de capitalização.