Após registrar filas de até 2 horas, barreira sanitária em São Sebastião é suspensa pelo Estado | Vale do Paraíba e Região

A barreira sanitária na entrada de São Sebastião, no litoral sul, foi suspensa neste sábado (27) por determinação da Polícia Rodoviária Estadual. Segundo a prefeitura, o PRE pediu a suspensão porque o bloqueio estava gerando longos filamentos e atrapalhando o trânsito na rodovia Rio-Santos.

Na última sexta-feira (26), o bloco de acesso a São Sebastião chegou a gerar filas de até 2 horas. As pessoas que chegavam à cidade precisavam passar no teste Covid-19. Até as 18h de sexta-feira, foram aplicados 459 exames que identificaram 19 infectados pelo coronavírus.

As equipes da prefeitura estão suspendendo a ação na manhã de sábado e desmontando a estrutura onde os testes da Covid estavam sendo realizados. Até a publicação do relatório, os bloqueios sanitários não estarão mais programados no município.

Barreira sanitária em São Sebastião está suspensa; equipe desmontou barraca neste sábado (27) após apuração – Foto: Divulgação / PMSS

Após cadastrar filas para até 2h da manhã desta sexta-feira (26), a barreira sanitária de São Sebastião foi suspensa pelo Estado; – Foto: Divulgação / Prefeitura de São Sebastião

A barreira sanitária foi colocada como medida para tentar controlar a entrada de turistas na cidade. A preocupação é com o feriado de dez dias, decretado em São Paulo, que pode levar as pessoas ao litoral.

O acesso às praias é proibido em todo o estado devido à fase emergencial da quarentena, que foi prorrogada até 11 de abril. Além dos desvios, faixas alertam sobre a proibição de estacionamento na orla e a regra da fase mais restritiva do Plano São Paulo.

Porém, havia registros de tapume destruído, mas até a publicação do relatório, a prefeitura ainda não tinha um balanço dos casos registrados.

Os acessos às praias de Maresias, Boiçucanga, Cambury, Barra do Una, Baleia, Barra do Sahy e Juquehy foram encerrados. As praias, todas do Litoral Sul, são as que mais atraem turistas.

São Sebastião também proibiu a abertura de áreas de lazer comuns, como piscinas e churrasqueiras, em condomínios da cidade como forma de coibir a aglomeração. A medida prevê multa em caso de descumprimento que varia de R $ 140 a R $ 14 mil.

Na rede hoteleira, o hóspede deve apresentar o teste RT-PCR negativo realizado em até 48 horas antes de visitar a cidade.

São Sebastião foi a primeira cidade do litoral a anunciar um colapso da rede de saúde. O anúncio foi feito após o anúncio da fase de emergência, quando a cidade ficou cerca de uma semana com a UTI em plena capacidade.

Além da ocupação, a cidade também atingiu níveis críticos de medicamentos para intubação de pacientes internados em UTI. A situação foi amenizada depois que o Estado enviou uma remessa de sedativos.

As outras três cidades do Litoral Norte também adotaram medidas para evitar a circulação de turistas nos municípios.

Em Ubatuba, foi adotado um rodízio de carros no final da placa para diminuir a circulação na cidade. Moradores interditaram a rodovia Oswaldo Cruz em protesto contra o fluxo de turistas.

Além disso, o Tribunal de Justiça de São Paulo determinou que a cidade suspenda a flexibilização feita pela prefeitura, que incluiu academias e salões de beleza como serviços essenciais, que não estão previstos no Plano SP durante a fase emergencial.

Em Ilhabela, o teste negativo do Covid-19 deve ser apresentado na balsa. Já Caraguatatuba proibiu o aluguel de imóveis de veraneio.

Veja mais novidades do Vale do Paraíba e da região Bragantina

Source