Árbitro aponta ironia de Lisca, e ofensa do técnico do América-MG é relatada: “Ele veio para fazer o resultado e liberar o Cruzeiro” | america-mg


As ofensas cometidas pelos dirigentes do América-MG, no final da partida contra o Cruzeiro, foram detalhadas pelo árbitro Dewson Fernando Freitas (PA) no resumo da partida que aconteceu no Independência, pela Série B do Brasil. Contém a ocorrência envolvendo dois dirigentes de Coelho.

+ Notícias da América-MG

De acordo com a arbitragem, Anderson Racilan e Marco Antônio Batista – ambos diretores e assessores americanos – dirigiram-se a Dewson de forma “ofensiva”, usando palavras como “ladrão, vagabundo e juiz de várzea”. Ele também relatou que um deles deu a entender que a equipe de arbitragem veio colaborar com o resultado do Cruzeiro.

Dewson Freitas foi o árbitro do América-MG 1×2 Cruzeiro – Foto: Mourão Panda / América-MG

No ato contínuo, informo que o Sr. Marco Antônio Batista, também integrante da equipe do América FC, me ofendeu gritando as seguintes palavras: “ele veio fazer o resultado e libertar o Cruzeiro, sua gangue de ladrões, canalhas”. (veja o trecho completo abaixo)

Relatórios da súmula contra Lisca e assessores da América-MG – Foto: Reprodução / CBF

Em relação ao treinador Lisca, o árbitro referiu que o treinador – expulso na primeira fase – agiu ironicamente, batendo palmas e parabenizando a equipa de árbitros. Ela também citou a recusa do treinador em deixar as arquibancadas do Independência após a exclusão.

Relatórios da súmula contra Lisca e assessores da América-MG – Foto: Reprodução / CBF

Coelho reclamou, principalmente, de duas jogadas na primeira etapa. O primeiro por não ter marcado pênalti no início da partida, na mão na bola do meia Adriano, do Cruzeiro. Pouco antes, Manoel havia sofrido uma falta no movimento. Minutos depois, Messias e William Pottker disputaram na área, e o pênalti foi favorável a Raposa, convertido por Rafael Sóbis.

No Central do Apito, o comentarista Paulo César de Oliveira destacou que marcaria pênalti a favor de Coelho e não apontaria infração na jogada envolvendo Pottker.