Assalto em Cametá: o que se sabe e o que falta esclarecer | Para


Veja o que já se sabe sobre o caso e o que falta esclarecer:

Como os criminosos agiram?

Assim como em Criciúma, a quadrilha atacou um quartel da Polícia Militar (PM), impedindo a saída da polícia, e usou reféns como escudo para se locomover pelas ruas da cidade. Pessoas foram capturadas em bares no momento em que assistiam ao futebol.

Os criminosos dispararam para cima por mais de uma hora. O grupo usou armas e explosivos de alto calibre. Os vídeos registram que em aproximadamente 2 minutos foram ouvidos 45 tiros.

VÍDEO: 45 tiros podem ser ouvidos em pouco mais de 2 minutos em Cametá (PA)

A agência do BB atacada, que fica no prédio da Câmara Municipal de Cametá, foi destruída.

Este crime é conhecido como “cangaço novo” ou “vapor”, que se caracteriza por ações rápidas e violentas, com muitos disparos de armas de fogo, a tomada de reféns e a utilização de explosivos. Normalmente, são planejados em cidades de médio e pequeno porte, que possuem menor número de policiais. Em ação, os criminosos cercam os batalhões da polícia.

Foi um caso inédito no Pará?

Não. Ao contrário do crime em Criciúma, que está sendo considerado o maior assalto da história de Santa Catarina, o Pará já registrou 51 crimes desse tipo nos últimos quatro anos, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública.

Em 2020, ocorreram outros dois roubos semelhantes: um em Ipixuna do Pará, no dia 30 de janeiro, e em São Domingos do Capim, no dia 3 de abril.

O que aconteceu com os reféns?

Um dos reféns, identificado como Alessandro de Jesus Lopes Moraes, foi morto. Outro foi atingido na perna e teve que ser internado no hospital da cidade, mas sem risco de morte.

Em Cametá, governador do Pará Helder Barbalho diz que bandido não aceita dinheiro

Em Cametá, governador do Pará Helder Barbalho diz que bandido não aceita dinheiro

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), disse que a quadrilha que roubou uma agência do Banco do Brasil em Cametá perdeu o cofre e não levou nada do banco.

Quem foi o responsável pelo roubo? Alguém foi preso?

Ninguém foi preso. Os bandidos deixaram a cidade pela rodovia Transcametá e seguiram o rio. Segundo a PM, o grupo fugiu em carros e barcos – a cidade fica às margens do rio Tocantins.

O que a polícia encontrou?

A polícia encontrou até o momento uma caminhonete com explosivos apreendida no km 15 da estrada que liga Cametá a Tucurí. Os criminosos também deixaram dinamite no km-40 da BR-422 durante a fuga, ainda em Cametá.

Mais adiante, no km 80 da mesma rodovia, mas já no município de Baião, foi encontrado dentro do rio Itaperuçu um carro suspeito de ter sido utilizado na fuga. A polícia acredita que os suspeitos continuaram pela floresta de lá.

O que o Banco do Brasil disse?

Agência Banco do Brasil é alvo de ação criminosa violenta em Cametá, Pará – Foto: Reprodução

Em nota, o Banco do Brasil informou que não será aberto nesta quarta-feira e que não há registros de funcionários do BB ou colaboradores feridos na ação. O banco frisou ainda que colabora com as investigações e aguarda a conclusão dos trabalhos para varrer a perícia e libertar o acesso ao local, quando será possível fazer uma avaliação dos danos à estrutura e limpeza da agência.

O Banco do Brasil não informa os valores subtraídos durante ataques criminosos às suas agências.

Como as forças de segurança se organizam para responder ao ataque?

Segundo o governador, a equipe do sistema de segurança do estado, com os batalhões especiais da Polícia Militar, o Núcleo de Inteligência da Polícia Civil e mais dois helicópteros estão na região para contribuir com as buscas e investigações.

Uma equipe do Scientific Expertise Center examinará os veículos encontrados para tentar identificar impressões digitais. Imagens de câmeras de segurança de circuitos de monitoramento próximos também foram solicitadas.

‘Novo Cangaço’: crimes em Criciúma e Cametá seguem o mesmo padrão – Foto: Arte G1

Vídeos: gangue assalta banco e causa pânico em Cametá, PA