Bandeira negra aparece pela primeira vez no estado; região permanece em vermelho – Região






Mapa preliminar traz regiões com bandeira preta pela primeira vez

Foto: Governo Estadual

Pela primeira vez, o mapa de Distância Controlada mostra regiões com classificação de risco epidemiológico muito alto, ou seja, bandeira preta. A classificação foi impulsionada pela redução constante de leitos livres de UTI e aumento dos casos de contágio e internação por coronavírus. As regiões de Bagé e Pelotas foram classificadas na final bandeira preta do mapa preliminar da 32ª rodada, divulgado nesta sexta-feira (11).

Das outras 19 regiões, apenas Cruz Alta recebeu a classificação final de bandeira laranja. Na região dos portais do Grupo Sinos, os blocos liderados por Novo Hamburgo, Taquara, Canoas, Caxias do Sul e Capão da Canoa são classificados como de alto risco epidemiológico. A região de Taquara apresentou piora em relação à semana anterior, pois foi classificada como médio risco.

A bandeira preta é a restrição máxima fornecida pelo modelo de Distância Controlada e significa que tanto a capacidade hospitalar quanto a infecção por coronavírus atingiram níveis críticos na região. Caso a classificação permaneça no mapa definitivo que será divulgado nesta segunda-feira (14), as restrições mais rígidas serão aplicadas nas regiões de Bagé e Pelotas a partir desta terça-feira (15).

A co-gestão segue suspensa até segunda-feira (14), data de vencimento do decreto. Qualquer manutenção ou novas medidas serão anunciadas pelo Governo quando o mapa final for divulgado.


Alerta máximo

O momento é extremamente alerta: o Rio Grande do Sul observou um aumento em quase todos os indicadores monitorados pela equipe de Distância Controlada. Houve aumento, nos últimos sete dias, de 14% nas internações pela Covid-19 (de 1.174 para 1.338 casos), que atingiu o maior número desde o início do acompanhamento.
É também o maior número de pacientes em UTI, em leitos clínicos e em óbitos. As mortes cresceram 15% nesta semana, chegando a 409 registros. Com isso, verifica-se o menor número de leitos livres (407) do Estado, bem como a menor proporção de leitos livres para cada ocupada (0,44), que passou de 0,5 também pela primeira vez. Por isso, o governo do estado reforça a necessidade de a população seguir os protocolos e normas de saúde estabelecidas pelo modelo.

Regra 0-0

Alguns municípios podem adotar protocolos de bandeira laranja, pois atendem aos critérios da Regra 0-0, ou seja, não possuem registro de óbito ou internação de moradores nos últimos 14 dias, desde que o município crie uma regulamentação local.
Vale lembrar que a regra só é válida para municípios em regiões de bandeira vermelha, para que possam adotar protocolos de bandeira laranja. Em outras palavras, a regra não se aplica aos municípios em regiões com bandeira preta e laranja.

Veja quais cidades da região podem adotar flexibilidade: Rolando, Riozinho, São José do Hortêncio, Brochier, Harmonia, Alto Feliz, Bom Princípio, Linha Nova e São Vendelino.

Receba as novidades diretamente no seu email! Clique aqui e inscreva-se no nosso boletim informativo gratuito.

Gostou deste artigo? Compartilhar!

.