BlackRock faz nova investida no mercado brasileiro de ETF


A BlackRock expandiu sua oferta de iShares no Brasil, disponibilizando 37 ETFs adicionais para investidores locais.

A gestora de ativos está adicionando 37 ETFs à sua linha de produtos no Brasil por meio de Recibos de Depósitos Brasileiros recém-listados localmente, ou BDRs. A única operadora de câmbio do país, B3 SA, foi acusada de listá-los, de acordo com um Bloomberg artigo.

Os novos ETFs são baseados principalmente em ações e darão aos investidores locais acesso a setores como aeroespacial e biotecnologia, bem como estratégias sustentáveis.

A BlackRock já tinha cinco ETFs listados localmente no Brasil antes das últimas adições.

o Bloomberg O artigo citou Dominik Rohe, chefe da BlackRock para a América Latina, dizendo que o Brasil mostrou ‘um potencial tremendo’ para a adoção de ETFs, citando sua popularidade entre os fundos de pensão em países vizinhos.

‘No Brasil vai levar tempo – não é algo que esperamos que aconteça amanhã ou em alguns meses. Para nós, este é um plano de longo prazo ‘, disse Rohe.

Os investidores brasileiros têm mostrado uma demanda crescente por produtos internacionais, à medida que as taxas de juros locais historicamente baixas os levam a buscar novas maneiras de atender às suas altas demandas de retorno. Rohe disse acreditar que os ETFs ajudarão a reduzir os custos para os investidores locais e fornecer maior transparência de taxas ao mercado.

No entanto, até o momento, os ETFs não foram adotados pelos investidores brasileiros como em outros mercados. Menos de duas dezenas de ETFs de ações estão listados no Brasil, de acordo com Bloomberg, apesar de ser o maior mercado de investimentos e gestão de ativos da América Latina.

O artigo também destacou dados da associação de mercado de capitais do Brasil, Anbima, mostrando que dos 5,8 trilhões de reais (US $ 1,1 trilhão) investidos em fundos, apenas 0,5% são investidos em ETFs.