Brasil Petrobras busca ofertas finais para refinaria da Bahia; planta lubrificante mulls


HOUSTON (ICIS) – A Petrobras está buscando ofertas finais para sua refinaria no estado da Bahia, no Brasil, incluindo uma do Grupo Mubadala, a produtora de energia do estado disse na noite de quinta-feira.

No início de julho, a Petrobras disse que havia iniciado negociações com a Mubadala sobre a venda da refinaria, chamada RLAM.

Essas negociações foram encerradas e as ofertas finais serão baseadas nas versões negociadas dos contratos com a Mubadala, informou a Petrobras. A expectativa é receber as ofertas finais em janeiro.

A refinaria está entre as oito que a Petrobras pretende vender.

Já recebeu propostas para a refinaria de lubrificantes LUBNOR, no Ceará, e a unidade SIX, no Paraná. A unidade SEIS converte o querogênio encontrado no xisto em óleo por meio da pirólise.

No dia 10 de dezembro, a Petrobras espera receber as propostas vinculantes da REFAP no Rio Grande do Sul e da REPAR no Paraná.

Uma das concorrentes à REPAR é a Ultrapar, conglomerado brasileiro dono da varejista de combustíveis Ipiranga e da produtora de surfactantes Oxiteno. Outras propostas vieram de um consórcio liderado pela Raízen e China Petroleum & Chemical Corp (Sinopec).

No primeiro trimestre de 2021, a Petrobras deve receber propostas vinculantes para as duas refinarias restantes que pretende vender, a RNEST em Pernambuco e a REGAP em Minas Gerais.

A seguir, sete das refinarias que a Petrobras planeja desinvestir.

Refinaria Localização Capacidade (bbl / dia)

LUBNOR (Lubrificantes e Derivados do Nordeste)

Fortaleza ceará

8.000

REFAP (Alberto Pasqualini)

Canoas, Rio Grande do Sul

208.000

REGAP (Gabriel Passos)

Betim Minas Gerais

166.000

REMAN (Isaac Sabba)

Manaus, Amazonas

46.000

REPAR (Presidente Getulio Vargas)

Araucaria, Paraná

208.000

RLAM (Landulpho Alves)

Mataripe bahia

333.000

RNEST (Abreu e Lima)

Ipojuca, Pernambuco

130.000

A capacidade da LUBNOR inclui 2.000 bbl / dia de óleo de base naftênica.

A oitava refinaria, a SIX, fica em São Mateus do Sul, no Paraná.

PLANOS PARA UM POSSÍVEL PROJETO DE LUBRIFICANTES
A venda deixará a Petrobras com seis refinarias, uma das quais serviria de base para um possível projeto de lubrificantes.

Segundo a proposta, a matéria-prima da refinaria existente da empresa em Duque de Caxias, no estado do Rio de Janeiro (REDUC), será enviada para um hidrocraqueador existente em Itaboraí.

Este projeto, denominado GasLub, produziria combustíveis com baixo teor de enxofre e lubrificantes avançados a partir de óleos básicos do Grupo II. Ela incorporaria unidades que fariam parte do muito mais ambicioso Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). A construção deste projeto maior foi paralisada em 2014 em meio às consequências do Lava Jato escândalo de corrupção.

A Petrobras disse que o projeto GasLub ainda está em fase de estudos técnicos e de viabilidade. A capacidade do projeto dependerá dos resultados desses estudos.