Brasil recebe doses da vacina chinesa COVID-19, financiamento da vacina britânica do Senado OK


SÃO PAULO (Reuters) – O centro biomédico do Instituto Butantan de São Paulo recebeu nesta quinta-feira 1 milhão de doses da vacina chinesa COVID-19 desenvolvida pela Sinovac Biotech Ltda que está em fase final de testes pelo instituto em 16 locais do Brasil.

A remessa da vacina CoronaVac será embalada e rotulada nas instalações do Butantan, dependendo da aprovação regulatória. O Butantan disse que espera que a Sinovac publique os resultados da eficácia de seus testes de vacinas até 15 de dezembro.

O Senado do Brasil na quinta-feira aprovou um decreto presidencial que destina 2 bilhões de reais (US $ 388 milhões) para comprar a vacina que está sendo desenvolvida pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford. A câmara baixa fê-lo na quarta-feira.

Os recursos irão para o centro biomédico federal Fiocruz para comprar e depois produzir a vacina britânica no Brasil.

O governador de São Paulo, João Doria, disse aos jornalistas que as vacinações em seu estado começariam em janeiro, o que significa que o estado começaria a vacinação antes do plano nacional, previsto para começar em março.

“Não vamos esperar março e não vamos enterrar mais brasileiros só para esperar, quando poderíamos estar salvando mais de 60 mil vidas a partir de janeiro”, disse Doria.

Na manhã de quinta-feira, Doria havia dito que o estado receberia 6 milhões de doses da vacina chinesa este mês, com outras 40 milhões de doses até 15 de janeiro.

O presidente Jair Bolsonaro, que muitos esperam ser desafiado por Doria na eleição presidencial de 2022, há muito tempo critica a vacina de Sinovac.

Doria, por sua vez, acusou a agência reguladora de saúde da Anvisa de se tornar excessivamente politizada após a suspensão surpresa do julgamento de Sinovac devido ao suicídio de um voluntário. O julgamento foi reiniciado, mas o presidente chamou a suspensão de uma “vitória” para Bolsonaro.

O secretário de Vigilância do Ministério da Saúde, Arnaldo Medeiros, disse que o primeiro lote de 15 milhões de vacinas AstraZeneca irá para profissionais de saúde prioritários, idosos e indígenas.

Questionado sobre se o governo federal compraria da Sinovac, ele disse: “Este ministério tem interesse em qualquer vacina registrada pela Anvisa que tenha se mostrado eficaz e segura”.

($ 1 = 5,1515 reais)

Reportagem de Leonardo Benassatto; Edição de John Stonestreet, Bill Berkrot e Jonathan Oatis

.