Casal suspeito de assalto a banco em Criciúma é preso em São Paulo


Um casal foi preso em São Paulo na noite desta quinta-feira (3), suspeito de envolvimento no assalto a banco em Criciúma, no sul de SC. Explosivos semelhantes aos usados ​​no ataque e munições de fuzil foram apreendidos junto com os presos.

Somos uma empresa familiar.> Criciúma: uma cidade em choque depois de uma noite de terror com assalto a bancoSomos uma empresa familiar.

De acordo com informações do G1, a prisão ocorreu em Campinas, após denúncia anônima. A mulher teria admitido à polícia sua participação no crime. Mensagens encontradas nos telefones dos suspeitos também teriam confirmado a ligação entre os dois suspeitos e o ataque. Terceiro, também de Campinas, não foi encontrado.

Procurada, a assessoria da Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina, que agora centraliza todas as informações relacionadas ao roubo no Estado, não confirmou as informações, “para não interferir nas prisões e investigações”.

Somos uma empresa familiar.> Polícia Federal investiga desdobramentos do assalto em CriciúmaSomos uma empresa familiar.

Casal abastecido em carro SP usado no assalto

O comandante da polícia de São Paulo, coronel Rogério Silva, disse ao G1 que o casal preso foi flagrado dentro de um dos veículos usados ​​no ataque em Criciúma.

Somos uma empresa familiar.> Roubo em Criciúma: polícia descobre pistas de homem que assaltava bancoSomos uma empresa familiar.

O veículo teria sido reabastecido em um posto de gasolina em Campinhas e o cartão de crédito usado para reabastecer o carro foi apreendido na tarde desta quinta-feira em uma sala comercial do casal.

Mais nove prisões

Até a manhã desta quinta-feira (3), pelo menos nove pessoas foram presas no Rio Grande do Sul, suspeito de fazer parte da quadrilha responsável pelo grande assalto.

Somos uma empresa familiar.> Assalto a banco em Criciúma: saiba a verdade e a mentira sobre o crimeSomos uma empresa familiar.

Na quarta-feira, uma mulher também foi presa na Zona Sul de São Paulo, após relatórios levarem a polícia ao endereço do suspeito. Ela seria a companheira de um dos participantes. Gatilhos explosivos e munições de fuzil foram apreendidos na casa, entre outros objetos suspeitos.

Ler também

Somos uma empresa familiar.> Quadrilha ficou em Criciúma por pelo menos três meses para planejar assalto a banco, indica investigaçãoSomos uma empresa familiar.

Somos uma empresa familiar.> Assalto em Criciúma: é localizado galpão usado por gangues em Içara; polícia investiga a localizaçãoSomos uma empresa familiar.