Chamada para testemunhar sobre Lumena, Carla Diaz rebate: ‘O racismo reverso não existe’


Em momentos como o que estamos vivendo, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para superar essa tempestade. Se você puder, apoie nosso trabalho e assine o jornal Correio por apenas R $ 5,94 / mês.

A atriz Carla Diaz disse nesta quinta-feira (8) que foi intimada a depor à polícia sobre uma investigação que investiga se ela foi vítima de discriminação racial no BBB21. Carla esclareceu que não foi ela quem apresentou queixa e lembrou que não existe racismo reverso.

“Peguei um susto, obviamente, porque alguém pediu para a polícia abrir uma investigação, e vou ter que dar esclarecimentos sobre um procedimento de preconceito racial. Sim, como se eu fosse a vítima”, disse a atriz, no Instagram .

A denúncia em questão foi feita pelo deputado estadual Anderson Moraes (PSL-RJ) em fevereiro, na Delegacia de Combate a Delitos Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), no Rio de Janeiro. Ele afirmou que a psicóloga baiana Lumena Aleluia praticava “racismo contra os brancos” porque chamava Carla de “sem melanina”, “desbotada” e dizia que ela tinha “olho de boneca assassina”.

Carla disse que estava chateada por estar envolvida na situação. “Acho tudo um absurdo”, disse ele. “Acho importante deixar claro aqui que não existe racismo reverso. Pessoal, por favor, vamos ler, vamos descobrir, a internet está aqui para isso. O programa debateu racismo a semana toda. Estou muito chateado, por causa de tudo comecei quando eu ainda estava em casa, usaram meu nome sem o meu conhecimento para me colocar nessa situação ”.

Source