Com muito mais sorte do que julgamento, PSG ganha mais uma ‘final’ e respira na Liga – 12/02/2020


O Paris Saint-Germain novamente teve muito mais sorte do que julgamento ou bom futebol. Assim como na semana passada, ele ganhou um jogo que poderia ter perdido facilmente. Mas ele venceu. E deixou as cordas para se qualificar praticamente para as oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa, a partir de fevereiro.

O Manchester United perdeu pelo menos três chances inacreditáveis ​​de marcar no segundo tempo contra o Paris hoje em Old Trafford, quando o placar estava empatado. O PSG acabou acertando um gol de Marquinhos, após acertar um rebote – outro gol gigantesco do zagueiro brasileiro com a camisa do clube -, fez o 2 a 1 e aguentou até o final. Ainda fez 3 a 1 no contra-ataque com Neymar.

Agora, o Paris só precisa de um empate contra o fraco Istambul Basaksehir, na próxima semana, no Parque dos Príncipes, para se classificar. O empate deixaria o PSG em segundo lugar no grupo. A vitória coloca o time de Neymar em primeiro lugar. Mesmo perdendo o Paris ainda pode entrar, se não houver empate entre RB Leipzig e Manchester United na outra partida do grupo.

Alemães e ingleses, portanto, decidirão o segundo colocado do grupo no confronto direto. Quem ganhar a “final” está dentro. Quem perde está fora. O sorteio beneficia o Manchester United. O Leipzig só empatará se o PSG perder.

Na semana passada, o time de Neymar já havia vencido o RB Leipzig de forma dramática, sofrendo muita pressão e segurando o resultado. Hoje, em Manchester, o PSG começou muito bem o jogo e chegou ao gol com Neymar. A partir do meio do primeiro tempo, o United encaixou o placar e começou a jogar muito melhor. Ele empatou e, na última etapa, teve duas chances incríveis perdidas por Martial e um passe na barra de Cavani.

Depois do gol de Marquinhos, o PSG fez mais um – Fred foi expulso. Teve um contra-ataque puxado por Mbappé em que o francês foi fominha e finalizou (saiu) em vez de cruzar para Neymar, que estava livre. Em seguida, houve outro contra-ataque iniciado e finalizado por Neymar, após auxílio de Rafinha.

Paris dá um suspiro de alívio. Ele sofreu muito, mas deu a resposta nas duas finais que disputou. Com o Neymar e muita sorte, é verdade. Mas aconteceu.