Como será a jornada de Wanda em Doctor Strange 2 após WandaVision

Depois de nove episódios misteriosos, a primeira temporada de WandaVision chegou ao fim ao apontar Wanda Maximoff (Elizabeth olsen) para uma direção completamente nova no MCU (Universo Cinematográfico Marvel). Como se as pistas deixadas pelo capítulo final em si não bastassem, a heroína já foi oficialmente confirmada como parte de Doutor Estranho 2. Para descobrir como a jornada da Feiticeira Escarlate se encaixa no novo filme do Supreme Wizard, basta olhar para as pistas deixadas pela segunda das duas cenas pós-créditos no final.

[Cuidado com spoilers do final de WandaVision]

No WandaVision, é possível dividir a jornada de Wanda em dois temas muito importantes: sua jornada para lidar com a dor e superar a perda de entes queridos, e a descoberta de seu lado mágico. Se no primeiro a Marvel fez um trabalho exemplar em evitar o clichê da “louca”, no segundo abriu a porta para a heroína descobrir a natureza de seus poderes e buscar maneiras de expandi-los.

Esse mergulho começou com Agatha Harkness (Kathryn Hahn), uma vilã que acaba se tornando uma espécie de “professora” de Wanda. Embora zombeteiramente, rindo do fato da heroína não dominar conhecimentos básicos de magia, Harkness acaba apresentando conceitos como Magia do Caos, o título de Bruxa Escarlate e, principalmente, Fortaleza das Trevas. Após lidar com a colega e se despedir de sua família, Wanda se isola em uma cabana no interior, onde começa a estudar o “Livro dos Malditos”.

Com esta sequência de eventos, não é difícil imaginar que os caminhos de Wanda e Stephen Strange (Benedict Cumberbatch) se cruzam durante a busca por conhecimento. Com anos de experiência como o Mago Supremo, ele poderia ser de grande ajuda para o Vingador em suas descobertas sobre o que significa ser a Bruxa Escarlate. Claro, este é o cenário mais otimista para um encontro, já que o mais provável é que eles precisem se encontrar em condições mais trágicas.

Darkhold e o multiverso da loucura

Pouco se sabe sobre Doutor Estranho 2, mas seu anúncio em San Diego Comic-Con 2019 trouxe duas revelações importantes: a primeira foi o subtítulo de “no Multiverso da Loucura” [“no Multiverso da Loucura” em tradução livre], e a segunda é que o longa será influenciado por filmes de terror. Essas pistas, somadas à segunda cena pós-créditos da série, abrem a sinistra possibilidade de que Wanda esteja por trás da chegada de um demônio de outra dimensão.

Apesar das várias teorias ao longo WandaVision, o demônio da época não seria Mephisto, mas Chthon. Chamado de “deus do Caos”, nos quadrinhos essa entidade maligna foi banida da Terra e deixou o Darkhold para trás, um livro de feitiços das trevas que também servia como uma espécie de elo para o demônio retornar. Os caminhos de Chthon e Wanda se cruzaram na saga As noites Wundagore, no qual ela acabou possuída por ele após ter contato com o livro.

Considerando que Wanda está usando Darkhold para aprender magia, é provável que ela acabe sendo responsável por trazer Chthon para nossa dimensão. Poderia ser este o ponto de partida para o Multiverso Madness? Considerando que o lado místico do MCU está apenas começando a ser explorado, este tipo de ameaça parece poderoso o suficiente para unir a Feiticeira Escarlate e o Doutor Estranho.

A busca por gêmeos

Outro enredo importante WandaVision Isso deve retornar em Doutor Estranho 2 é a busca da Feiticeira Escarlate por sua família. Nos segundos finais, ao decifrar o Darkhold, Wanda escuta seus filhos Billy e Tommy para obter ajuda. Com a revelação de que os meninos ainda estão por aí, é certo que ela partirá em busca de reunir sua família. Além de trazer os filhos de volta, esse percurso pode colocá-la em contato com a nova Visão, que desapareceu após ter recuperado a memória.

Abrindo as portas para Wanda e Visão finalmente retomarem seu relacionamento e continuarem como uma família feliz, essa trama se assemelha diretamente à jornada dos heróis Wiccano e Célere nos quadrinhos. Apresentado na revista Young Avengers, a dupla é na verdade a reencarnação dos gêmeos Billy e Tommy, que haviam sido tirados da heroína décadas antes.

Caso essa trama também se concretize em cinemas, o MCU deve finalmente abrir as portas para a formação dos Jovens Vingadores, grupo que ainda conta com heroínas como América Chávez, que será apresentada em Doutor Estranho 2. Resta esperar até a estréia do filme, que está programada para estrear em março de 2022.

Source