CoronaVac: SP começa a produzir esta semana e prevê vacinação no 1º bi – 03/12/2020


O secretário de Saúde do Estado de São Paulo, Jean Gorinchteyn, disse hoje que a CoronaVac, vacina contra o covid-19 produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, começará a ser produzida no final de semana. Um lote com insumos para a produção do imunizador chegou hoje a São Paulo.

Segundo ele, a expectativa é que ainda nos dois primeiros meses do ano que vem a vacinação comece. A aplicação do imunizante na população depende de autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

O diretor do Butantan, Dimas Covas, disse que se o CoronaVac for aprovado em janeiro, o estado deve iniciar a vacinação no mesmo mês, embora o plano do Ministério da Saúde seja iniciar o programa de vacinação para os brasileiros apenas em março.

“Se a vacina estiver pronta para uso, temos que iniciar a vacinação. Simplesmente porque a vacina pode salvar um milhão de pessoas. Não faz sentido atrasar a distribuição de uma vacina já registrada na Anvisa”, argumentou, em entrevista à Globonews .

Covas disse ainda que com ou sem financiamento do Ministério da Saúde as 46 milhões de doses serão utilizadas no próximo ano. Nesta terça-feira, o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo de Medeiros, afirmou que a pasta não descarta nenhuma vacina que esteja em fase 3 de testes no Brasil, como é o caso do CoronaVac, que é objeto de disputa entre o governo federal e o estado de São Paulo.

“Será a primeira vacina disponível no Brasil. Com financiamento do ministério ou sem financiamento do ministério essas 46 milhões de doses serão utilizadas muito rapidamente no início do ano que vem. Já temos convênio com vários estados e confederações de municípios , assim será, espero que com o apoio do ministério ”, disse.

Produção de imunizador

Em entrevista à TV Globo, Gorinchteyn explicou que os 600 litros do insumo que chegaram hoje vão garantir a produção de mais de um milhão de doses do imunizante.

Segundo ele, nos próximos dias os insumos passarão por uma avaliação técnica de qualidade. “As vacinas já começam a ser produzidas no final de semana. Aí, no início da semana, essas doses estarão prontas, serão formuladas, embaladas e, sim, devidamente armazenadas para serem liberadas pelos órgãos reguladores, ” ele explicou.

Gorinchteyn disse que a vacina é segura e provará sua eficácia. No mês passado, o governo de São Paulo anunciou que a fase três dos estudos do imunizante, que pode atestar sua eficácia, atingiu o número mínimo de pessoas infectadas pelo coronavírus. Com essa marca, é possível abrir os resultados dos estudos para análise da aprovação do registro pela Anvisa.

Ele disse nesta terça-feira (1º) que os resultados do imunizante estão sendo analisados ​​e devem ser compartilhados com o governo “possivelmente na próxima semana”.

Sobre as datas, o secretário disse que o Butantan já está redigindo o pedido emergencial. “Imaginamos e desejamos que ainda nos dois primeiros meses do próximo ano já estejamos começando a vacinar a população”.