Coronavírus: Paraná prorroga toque de recolher e restrição a serviços não essenciais até quarta-feira (10) | Paraná

O novo decreto foi anunciado pelo governador Ratinho Junior (PSD) e pelo secretário de Estado da Saúde, Beto Preto. O decreto anterior, publicado na sexta-feira (26), era válido até segunda-feira (8).

  • VEJA O DECRETO COMPLETO DESTA SEXTA-FEIRA

Com isso, o toque de recolher é estendido das 20h às 5h, o encerramento das atividades não essenciais e a suspensão das aulas presenciais no Paraná.

A venda de bebidas alcoólicas no estado também continua proibida no toque de recolher, segundo o edital.

As medidas foram tomadas por causa do aumento significativo no número de casos de Covid-19 e por causa da alta taxa de ocupação de leitos em hospitais de todo o estado. Nesta sexta-feira, a ocupação dos leitos de UTI adulto, pela rede pública de saúde, é de 96%.

A partir de quarta-feira, com o fim do prazo do decreto, os serviços não essenciais, como o comércio, podem voltar a funcionar das 10h às 17h.

“Queremos que as pessoas circulem pela manhã, para evitar aglomerações no transporte público. O toque de recolher continua a partir das 20h, assim como a proibição da venda de bebidas alcoólicas no mesmo horário”, disse o governador.

As escolas particulares do estado, no modelo híbrido, podem retornar às aulas após o término da prorrogação do decreto, segundo o governador Ratinho Júnior.

Na rede pública, o retorno está marcado para segunda-feira (15). As taxas de ocupação da sala de aula não podem exceder 30% da capacidade.

Ratinho Junior e Beto Preto apresentam atualização das medidas de enfrentamento do estado à Covid-19 – Foto: Carolina Wolf / RPC

As medidas mais restritivas para reduzir a circulação do vírus no estado entraram em vigor neste sábado (27). Mesmo assim, até quinta-feira (4), o número de internados com Covid-19 ou com suspeita da doença bateu recorde por nove dias consecutivos, chegando a 4 mil internações.

A fila de espera por vagas em hospitais também bateu recordes sucessivos no período. Na quinta-feira, segundo a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), 811 pessoas aguardavam leitos de UTI ou enfermaria.

Os dados desta sexta-feira, divulgados pela Sesa, apontam que o estado atingiu 96% de ocupação dos leitos de UTI Covid-19. Em todas as macrorregiões, a ocupação das enfermarias da Covid da UTI está acima de 95%.

“Já inauguramos, em 13 dias, mais de 200 leitos de UTI. As equipes estão se dedicando para tentar amenizar o problema”, disse Ratinho Júnior.

Beto Preto destacou que, de cada 10 pacientes que vão para a UTI, quatro morrem. “É um número dramático. Por isso, vamos nos dedicar a trazer mais vacinas”, comentou.

O índice de isolamento social no estado ficou entre 34% e 35% no Paraná, de segunda (01) a quinta-feira, segundo o monitoramento feito com dados de geolocalização pela empresa In Loco.

A proporção é maior do que nas duas semanas anteriores ao decreto, quando o isolamento, de segunda a sexta-feira, ficava entre 29% e 31%, mas é o mesmo índice alcançado na primeira semana de fevereiro e inferior ao alcançado em janeiro , quando os serviços não essenciais funcionavam e o toque de recolher era das 23h às 5h.

Índice de isolamento social no Paraná

Proporção de pessoas que não saem de casa estava caindo antes do toque de recolher

Fonte: InLoco

No domingo (1º), o índice de isolamento atingiu 53%, a maior marca desde 24 de janeiro.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), nesta sexta-feira, o estado atingiu 667.441 casos confirmados da doença. Desde o início da pandemia, 12.100 pessoas morreram em decorrência da doença.

“No Paraná, todos os testes que foram feitos apontaram para 70% da cepa P1. Isso demonstra que a sepa está circulando no Paraná e essa explosão de casos está diretamente relacionada à presença da cepa amazônica, sim. É um contágio mais agressivo “, disse. o secretário de saúde.

Extensões do toque de recolher

O toque de recolher no estado entrou em vigor no dia 2 de dezembro. A média foi válida por 15 dias, entre 23h e 5h. Na época, o estado tinha um total de 285.837 casos confirmados e 6.188 mortes.

A determinação foi estendida mais cinco vezes:

  • Em 17 de dezembro de 2020, quando o Paraná atingiu 7.112 óbitos e 363.373 casos confirmados da doença. A medida foi válida por 10 dias.
  • Em seguida, no dia 28 do mesmo mês, quando o estado passou 400 mil diagnósticos e registrou 7.671 óbitos. Nesse documento, a medida não era válida na virada do ano.
  • No dia 7 de janeiro deste ano, o touch foi estendido mais uma vez, mas com mudanças. O decreto aumentou o limite de 10 para 25 pessoas em reuniões e eventos presenciais. Nesse dia, a Sesa relatou problemas técnicos e não divulgou dados diários do Covid-19.
  • Em 29 de janeiro, houve nova prorrogação do toque de recolher no estado. A medida foi válida por 10 dias. O boletim daquele dia apontava que o Paraná teve um total de 9.848 mortes e 539.442 casos confirmados.
  • No dia 10 de fevereiro, a medida foi prorrogada das 23h às 5h até o dia 28. Porém, no dia seguinte, o Governo do Paraná reduziu em uma hora o toque de recolher, ficando entre 0h e 5h.

VÍDEOS: G1 PR mais assistidos

Source