COVID-19 crescendo perigosamente no Brasil, avisa a filial da OMS nas Américas

BRASÍLIA (Reuters) – O coronavírus está crescendo “perigosamente” em todo o Brasil, alertou a diretora regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) para as Américas, Carissa Etienne, pedindo a todos os brasileiros que adotem medidas preventivas para conter a disseminação.

FOTO DE ARQUIVO: Os pacientes são fotografados no pronto-socorro do hospital Nossa Senhora da Conceição, que está superlotado por causa do surto de coronavírus, em Porto Alegre, Brasil, 11 de março de 2021. REUTERS / Diego Vara / Arquivo de foto

“Infelizmente, a terrível situação no Brasil também está afetando os países vizinhos”, disse Etienne, diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), em um briefing.

Os casos de COVID-19 aumentaram nos estados de Bolívar e Amazonas, na Venezuela, e nas regiões fronteiriças do Peru e da Bolívia, disse ela.

A variante do vírus descoberta pela primeira vez no Brasil conhecida como P1, que os especialistas dizem ser mais contagiosa do que a cepa original do coronavírus, agora foi detectada em 15 países nas Américas e se tornou um grande motivo de preocupação, disse o gerente de incidentes da OPAS, Sylvain Aldighieri.

No Cone Sul, os casos de COVID-19 continuam aumentando no Chile, Paraguai e Uruguai, de acordo com a OPAS.

No Paraguai, a maioria dos leitos das unidades de terapia intensiva (UTI) está ocupada e o sistema de saúde está sofrendo com a pressão. O Uruguai notificou mais de 1.000 casos por dia várias vezes nas últimas semanas, um número alarmante devido ao tamanho do país.

Na América Central, os casos diminuíram no Panamá, mas o aumento nas hospitalizações na Guatemala está reduzindo a capacidade de leitos na UTI.

A instalação COVAX liderada pela OMS e a coalizão Gavi para fornecer acesso equitativo às vacinas entregou 2.161.800 doses para a região até agora, incluindo mais de 1 milhão de doses para o Brasil no fim de semana passado.

A OPAS espera que mais de 100.000 doses de vacina sejam entregues esta semana em El Salvador, Belize e Suriname, e 1,2 milhão de doses adicionais já foram solicitadas.

“As vacinas estão chegando, mas ainda faltam vários meses para a maioria das pessoas em nossa região”, disse Etienne.

De acordo com uma contagem da Reuters, a América Latina e o Caribe registraram cerca de 23,7 milhões de casos de coronavírus até agora e 746.000 mortes relacionadas, quase o dobro do número de vítimas da Ásia e da África juntas.

Só o Brasil teve mais de 295.000 mortes por COVID-19 e mais de 12 milhões de casos do vírus.

Reportagem de Anthony Boadle Editing por Bill Berkrot

Source