Empresa aeroespacial brasileira Embraer atingida por ciberataque


O grupo brasileiro aeroespacial e de defesa Embraer foi alvo de um ciberataque que impactou as operações da empresa.

Segundo nota divulgada pela empresa global nesta segunda-feira (30), o ataque resultou na “divulgação de dados supostamente atribuídos à empresa”.

O incidente foi informado cinco dias depois de sua ocorrência à Comissão de Valores Mobiliários. A legislação brasileira exige o relato imediato de problemas como ataques cibernéticos.

O ataque cibernético foi identificado em 25 de novembro de 2020, e como consequência o acesso a um único ambiente de sistemas da empresa ficou indisponível, segundo comunicado da Embraer.

Como consequência do ataque, os sistemas internos sofreram uma interrupção parcial e temporária, que impactou temporariamente algumas operações.

Segundo jornal brasileiro O Globo, o incidente em questão foi um ataque de ransomware, que exigiu a desactivação de uma parte significativa dos servidores operados pela empresa, que actualmente se encontra a funcionar em plano de contingência, com segurança reforçada.

Uma investigação está sendo realizada para apurar a origem e as consequências do ataque, observou o comunicado da Embraer.

“A empresa está envidando todos os esforços para investigar as circunstâncias do ataque, avaliar se há algum impacto potencial em seus negócios e em terceiros e determinar as medidas a serem tomadas”, acrescentou.

A notícia da Embraer segue outro grande incidente de segurança no país latino-americano: o Superior Tribunal de Justiça brasileiro foi atingido no mês passado por um grande ataque cibernético que interrompeu as operações por mais de duas semanas.

Segundo o presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Henrique Martins, o evento foi “o pior” ciberataque que um órgão do governo brasileiro já sofreu, tanto pela dimensão quanto pela complexidade.