Equinix investirá US $ 136 milhões em datacenters no Brasil até 2021


Apostando na demanda por infraestrutura, interconectividade e aplicativos em nuvem, a americana Equinix espera desembolsar US $ 136 milhões até o final de 2021 na expansão ou construção de datacenters no Brasil, disse o country manager Eduardo Carvalho (na foto) à BNamericas.

Do total, US $ 59 milhões já foram para a conclusão da primeira fase de expansão do datacenter carrier-neutral SP4 em Tamboré, no estado de São Paulo. O datacenter IBX SP4 foi um dos 29 adquiridos da Verizon em 2017.

Outros US $ 25 milhões vão para a ampliação do site do SP3, localizado na cidade de Santana do Parnaíba, em São Paulo, que deve ficar pronto nas próximas semanas.

Por fim, US $ 52 milhões estão sendo destinados à construção do SP5, também em Santana do Parnaíba, cuja construção já foi iniciada e a conclusão está prevista para o segundo semestre de 2021.

“Vamos formar uma área muito grande nesse espaço e a ideia é que possamos compartilhar serviços operados a partir do SP3, como monitoramento, etc. [SP5] será um datacenter mais puro, menos elaborado, parte do qual servirá para atender à hiperescala ”, disse Carvalho.

Um datacenter em hiperescala é uma instalação pertencente e operada pela empresa que ele oferece suporte.

EXPANSÃO

A primeira fase da expansão do SP4 – haverá fases futuras – representa 1.025 novos racks, enquanto outros 105 racks estão sendo adicionados ao SP3 e 505 racks no novo SP5.

Segundo Carvalho, o SP4 é o datacenter mais conectado da América Latina, com cerca de 50% do tráfego de rede da região passando por ele.

Na primeira fase de expansão, a Equinix está deixando racks prontos para a rede principal dos principais provedores de nuvem, a saber, AWS, Microsoft Azure, Softlayer da IBM, Google e Oracle.

A construção do SP5 é totalmente focada em hiperescala.

O objetivo era ter tudo pronto antes, mas a pandemia interrompeu as obras. A expansão do SP4, por exemplo, está atrasada em três meses.

“Tivemos que adotar um procedimento que incluiu um número menor de pessoas trabalhando por metro quadrado por causa da pandemia e também tivemos um atraso na chegada dos materiais importados. Mas o SP4 ficou pronto em novembro e agora pode atender clientes ”, disse Carvalho.

SISTEMAS SUBMARINOS

Boa parte dos negócios da Equinix está relacionada a sistemas de transporte de longa distância.

Segundo Carvalho, “a maior expansão que estamos fazendo, no Brasil e em outros mercados da região, está muito ligada às estações de pouso desses cabos submarinos, e também dos terrestres que estão chegando”.

A Equinix acabou de conectar o SP3 a um novo cabo que conecta as costas do Pacífico e do Atlântico da América do Sul implantado pela IPTP Networks. A linha de 4.300 km vai de Lima a São Paulo, conectando Peru, Bolívia e Brasil e fornecendo latência de apenas 29 milissegundos.

Jim Poole, VP de desenvolvimento de negócios da Equinix, diz que Brasil e Colômbia são os dois principais países da América Latina onde a empresa concentra atualmente seus investimentos relacionados a pontos de aterrissagem de cabos submarinos.

“A coincidência da demanda de cabos submarinos e a demanda em hiperescala pode criar circunstâncias para torná-lo interessante [to expand to other markets] do ponto de vista do investimento, mas além da Colômbia e do Brasil não temos nada planejado ”, disse Poole.

Os sistemas ativos para os quais a Equinix fornece interconexão na América Latina são: BRUSA, Curie, cabo festoon da Globenet, Monet, SACS e Seabras-1.

Entre os que ainda estão por vir ou em expansão estão projetos como Ellalink, ARBR, Aurora, Deep Blue, GOLD, Junior, Malbec, SAIL e SAIX (o chamado cabo BRICS), segundo Poole.

Segundo Carvalho, pouso, aquisições no México e expansão na Colômbia devem trazer ainda mais tráfego para as malhas da empresa.

Em janeiro, a Equinix concluiu a aquisição por US $ 175 milhões de três datacenters da Axtel que atendem às áreas da Cidade do México e Monterrey.

De acordo com a Equinix, a instalação de Monterrey é um datacenter altamente conectado que oferece um gateway de conectividade importante entre os EUA e o México.

Mais recentemente, a Telia Carrier anunciou a expansão de sua rede na América do Norte por meio de um acordo com a Equinix por meio de implantações nesses três datacenters.

A mais recente aquisição da Equinix nas Américas foram os 13 datacenters no Canadá da Bell Canada por US $ 780 milhões.