Estado do Rio tem a maior taxa de mortalidade por Covid-19 do Brasil, aponta Fiocruz


RIO – O estado do Rio tem o maior índice de mortalidade por Covid-19 do Brasil, aponta levantamento da MonitoraCovid-19, ferramenta de monitoramento da Fiocruz que acompanha a evolução da doença em todo o país. Ao todo, são 131 mortes por 100 mil habitantes, bem à frente de São Paulo (91,7 mortes por 100 mil), o que lidera em número absoluto de vítimas fatais do novo coronavírus no Brasil.

Covid-19: Especialista diz que novo colapso na Saúde do Rio era previsível e ‘poderia ter sido evitado’

O cálculo da taxa de mortalidade por 100 mil ou por milhão de habitantes é geralmente usado para pesar o impacto das mortes causadas pela Covid-19 de acordo com o contexto demográfico de um determinado município, estado ou país. Os dados da MonitoraCovid-19 indicam que, na situação atual da epidemia, o Rio é a unidade da federação com mais óbitos pela doença, levando-se em consideração a proporção de óbitos em relação à população.

Compreendo:Clínicas privadas esperam vacina Covid-19 apenas no segundo semestre de 2021

Em nível nacional, o Rio é seguido por seis outros estados com mais de 100 mortes por 100 mil habitantes: Distrito Federal (129,56), Amazonas (116,74), Mato Grosso (116,41), Roraima (116,29), Espírito Santo (106,4) e Ceará (104,92).

Na última quarta-feira, o projeto avisou, por meio de nota técnica, que o sistema de saúde do Rio de Janeiro entrou em colapso com o aumento do número de casos. Na região metropolitana do Rio, 172 pessoas aguardavam ontem na fila por um leito de UTI do Sistema Único de Saúde (SUS). A taxa de ocupação das unidades intensivas da rede privada já é de 98%.

Rede municipal: Redução da atenção básica é um dos maiores desafios do Paes na Saúde do Rio; Compreendo

No mesmo documento, a Fiocruz alertou que os números da Covid-19 na cidade do Rio também preocupam. Durante grande parte da pandemia, o município ficou atrás de São Paulo, a capital, no índice de mortes diárias. Nas últimas duas semanas, a situação se inverteu – são 60 mortes no Rio, ante 35 na cidade de São Paulo, que tem quase o dobro da população carioca. A instituição alerta que o Rio pode retomar o padrão de transmissão do Sars-CoV-2 observado no início da pandemia.

Rio aproxima-se de 23 mil mortes

De acordo com o último boletim do consórcio de veículos de imprensa formado por O GLOBO, Extra, G1, Estado de S. Paulo, UOL e Folha de S. Paulo, o estado do Rio tem 22.764 mortes de Covid-19 e 361.397 casos de doença. O estado de São Paulo, cuja população é quase três vezes maior que a do Rio de Janeiro, possui 42.456 vítimas fatais do coronavírus e 1.259.704 infecções registradas.

saber mais: Órgão do PGR recomenda promotores que exijam o retorno à escola, mesmo com casos de Covid-19 descartados

No Rio, a comissão científica que assessora o prefeito Marcelo Crivella (republicano) sugeriu que algumas medidas de isolamento social sejam retomadas em meio ao aumento de casos e mortes. No governo estadual, o governador interino Cláudio Castro (PSC) anunciou um programa de testes em massa que começará na próxima sexta-feira com a justificativa de evitar o “bloqueio”.

Em São Paulo, o governador João Doria (PSDB) anunciou na última segunda-feira, um dia após o segundo turno das eleições municipais, o retorno de todos os municípios do estado à chamada fase amarela, que restringe o horário de funcionamento e a ocupação de estabelecimentos e eventos.