‘Eu queria bater minha cabeça contra a parede’

Entre um dos principais responsáveis ​​pelo recente processo de reconstrução do Palmeiras, o ex-diretor de futebol do clube Alexandre Mattos revelou, ao vivo ao “Canal Amici 1914” e a outras mídias, nesta terça-feira (23), que Alviverde tinha uma proposta astronômica de vender o atacante Deyverson, atualmente emprestado ao Deportivo Alavésem 2019.

Segundo o diretor, na época o jogador recebeu uma oferta do Shenzen FC, da China, que renderia uma boa grana para o clube paulista, mas optou por permanecer no Palestra Itália, pois era muito querido pelo técnico Luiz Felipe Scolari e, na época, esperava o nascimento do filho com a ex-namorada.

“Saímos do encontro com 12,5 milhões de euros assinados pelo Palmeiras e pelo clube chinês. Deyverson receberia cinco milhões de euros por ano. Ele recusou. Queria bater com a cabeça na parede”, disse Mattos durante o live.

Na época, o valor da oferta milionária da China renderia R $ 56 milhões para Alviverde, enquanto Deyverson receberia um salário anual de R $ 22,5 milhões, valor que representaria um ganho mensal de R $ 1,87 milhão para o atacante.

Poucos meses depois, o jogador seria emprestado ao Getafe, da Espanha, com opção de compra no final do contrato. Porém, como não atingiu os gols estipulados, voltou ao Palmeiras, mas logo depois voltou à Península Ibérica, para jogar pelo Deportivo Alavés, clube com o qual mantém ligação até junho de 2021.

Deyverson chegou ao Palestra Itália em 2017, quando Cuca ainda era o treinador, por 5 milhões de euros (R $ 19 milhões, na época da temporada) com o levantar, também da Espanha. Seu contrato com o clube paulista é válido até junho de 2022.

Ao serviço de Alavés, Deyverson, de 29 anos, disputou 23 jogos na atual temporada europeia e marcou um único golo. Ainda não há informações sobre um possível retorno ao Alviverde após o fim do empréstimo com o clube espanhol.

Source