Falta de água deve afetar mais de 60 bairros do Rio e da Baixada Fluminense até sexta-feira


Ontem a Cedae divulgou novas listas com o plano de rotação do abastecimento de água para os próximos dias. Pela lista, 25 bairros do Rio de Janeiro e quatro outros municípios da Baixada Fluminense podem ser atingidos nesta quinta-feira. Na sexta-feira, o número de locais onde pode faltar água na capital chega a 40, e três cidades também correm o risco de sofrer com os transtornos.

Ontem, a Cedae anunciou que 22 bairros da capital e oito das três cidades da Baixada Fluminense ficariam sem água ou com abastecimento irregular ontem devido a problemas no Elevatório do Lameirão, que só devem ser resolvidos antes do Natal. Mas regiões que não foram listadas pela empresa, que decidiu fazer um rodízio entre as áreas que serão afetadas, também foram afetadas, tanto na capital quanto na Região Metropolitana.

A aposentada Dilza Alves da Silva, 66, que mora no Centro de São João de Meriti, na Baixada, depende da ajuda de vizinhos para conseguir água.

– Não tenho dinheiro para comprar água. Estou preocupado com esta situação em meio a uma pandemia, um período em que os cuidados de higiene precisam ser aumentados. Não tem nem água para fazer coisas simples, como escovar os dentes – diz a dona de casa.

Ontem, o presidente da Cedae, Edes Fernandes de Oliveira, apontou para a possibilidade de que quem se sentir lesado pela falta de água possa pedir o reembolso da conta e despesas com cisternas. A dona de casa Monique Martiniano da Silva, 34, também moradora do Centro de Meriti, não acreditava na possibilidade de reembolso.

– Os mais pobres sempre serão os perdedores. Como vamos reclamar da conta de água? Seremos forçados a pagar e a chance de obter esse dinheiro de volta é quase zero. O certo seria a Cedae disponibilizar camiões-pipa aos mais carenciados – disse Monique, mãe de um bebé de 2 anos e de um rapaz de 12 anos.

Moradora de um vilarejo da Rua Ipiranga, em Laranjeiras, na Zona Sul, a gerente de vendas Camila Fant disse que o abastecimento estava irregular e que a pouca água que chegava era lamacenta. Segundo ela, cerca de 20 casas e um pequeno prédio da região ficaram sem água entre os dias 24 e 28. Desde então, o abastecimento tem sido irregular.

– As bombas nem têm força para tirar água. Acredito que a água está chegando com menos volume, não está entrando na aldeia, está passando direto – diz Camila.

Procurada pelo EXTRA, a Cedae informou que “está organizando um procedimento para que, a partir da próxima semana, possam entrar os clientes que moram nas áreas afetadas pelo serviço no Eleveirão do Lameirão, que não têm medidor de consumo e se sentem prejudicados o processo administrativo e solicitar a auditoria de suas contas ”. A nota diz que os medidores de consumo com medidores de consumo são cobrados pela leitura do hidrômetro, ou seja, “do que foi efetivamente consumido e medido pelo equipamento”.

Confira a lista de bairros que podem ficar sem água nesta quinta-feira:

Parte de campo grande

Senador vasconcelos

Santíssimo

Jabour

Inhoaíba

Cosmos

Senador camará

Sepetiba

Cruz Sagrada

Grajaú

Ipanema

laranja

Parte da tijuca

Santa Teresa

Rio Comprido

Riachuelo

São Francisco Xavier

Benfica

Rocha

Sampaio

São Cristóvão

Camarista Méier

Parte da Ilha do Governador

Realengo

Ricardo de Albuquerque

Anchieta

Na Baixada Fluminense:

Queimado

Novo iguaçu

Japeri

roxo belford

Aqui estão os locais que podem ser afetados na sexta-feira:

Anchieta

Acari

Columbia Park

Pavuna

Coelho Neto

escola

Lucas Parade

Cordovil

Visão feliz

Iraja

Vila Kosmos

Vicente de Carvalho

O que você está procurando?

Guadalupe

Costa Barros

Campo grande

Inhoaíba

Cosmos

Paciência

Cruz Sagrada

Sepetiba

Pedra de Guaratiba

Bangu

Joah

Itanhangá

Barra da Tijuca

Cidade de deus

Camorim

Vargem pequena

Vargem Grande

Recreio dos Bandeirantes

Grumari

Jacarepaguá

Índigo

Gardênia Azul

Freguesia

Pechincha

Taquara

Tanque

Quadrado seco

Na Baixada Fluminense:

St. Johns Wood

Nilópolis

mesquita