Festa infantil de Michelle magoa ECA, além de ser intrinsecamente imoral – 04/12/2020


Michelle Bolsonaro, primeira-dama dos R $ 93 mil da família Queiroz, preside o programa Pátria Voluntária. Isso deu à mulher a tentação de mostrar amor pelos pobres. Por isso decidiu dar uma festa de Natal para crianças carenciadas no Palácio da Alvorada esta quinta-feira.

Meninas e meninos podiam nadar na piscina e brincar no gramado. Depois, almoçaram em mesas espalhadas pelo jardim. A extrema direita adora esses eventos socialmente macabros, onde pessoas pobres decoram os corredores e jardins dos poderosos. Não! O objetivo não é passar adiante a ideia de que todos são iguais. É justamente o contrário: o que vemos é um ritual de humilhação, no qual fica muito claro quem é o doador e quem é o doador – de quem só se deve um pouco de vergonha.

Segundo Michelle divulgada nas redes sociais, é o primeiro de quatro eventos até o final de dezembro.

Vamos ver. De acordo com a legislação em vigor no Distrito Federal, os presentes devem usar goma de mascar. O Palácio da Alvorada é um edifício público. Um punhado de ministros e o próprio Bolsonaro passaram pelo evento.

Informa o G1:
“No vídeo publicado pelo Bolsonaro, aparecem os ministros Paulo Guedes (Economia); Fábio Faria (Comunicação); Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo); Augusto Heleno (Segurança Institucional); Marcelo Álvaro Antônio (Turismo); Roberto Campos Neto (Presidente) do Banco Central), além de Mário Frias, secretário especial de Cultura, e Daniel Nepomuceno, secretário-executivo do Ministério do Turismo, pelo menos 14 ministros já contrataram a Covid-19., o ministro Damares Alves disse que as crianças chegaram cedo no Palácio da Alvorada, brincava na piscina e nos brinquedos espalhados pelo jardim do local e ia almoçar nesse momento.

Apenas os funcionários da empresa que organizou o evento e algumas pessoas usaram máscara. Assim, aquelas crianças pobres que receberam a generosa festa de Michelle estavam sendo expostas ao risco de contaminação, aumentando a vulnerabilidade de suas respectivas famílias. E? Quem pode resistir a ver aquele simulacro de reconciliar as elites com o povo?

Sim … Espero que o Ministério Público Federal se manifeste nesta sexta-feira.

Existe a Lei 8.069 no país, também conhecida como “Estatuto da Criança e do Adolescente”.

Está lá no Parágrafo 4:
“Art. 4º É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder público zelar, com absoluta prioridade, pela efetivação dos direitos relativos à vida, saúde, alimentação, educação, esporte, lazer, profissionalização, cultura , dignidade, respeito, liberdade e convivência familiar e comunitária. “

No momento da “confraternização”, estariam as autoridades presentes, a começar pelo Chefe do Executivo – que chegou acompanhado do jogador Felipe Melo, outro Homem de Plutarco do campo e da vida -, zelando pela saúde das crianças? Ou também ignoraram o artigo 18 do Estatuto? Eu lembro:
“Art. 18. É dever de todos zelar pela dignidade da criança e do adolescente, protegendo-os de qualquer tratamento desumano, violento, amedrontador, vexatório ou constrangedor.”

Nada! Nesse bando de adultos irresponsáveis, o maior entusiasmo era até mesmo o de Damares:
“Nós ministros, assessores dos ministérios, demos os presentes. As crianças escreveram cartas para nós e nós entregamos os presentes. E no quintal aqui já está lindo. Imagina isso aqui cheio de crianças amanhã? Então meu Deus, estou tão feliz. Deus abençoe o Brasil “.

Nada a fazer contra a perversa imoralidade de eventos como esse se eles seguissem pelo menos as regras sanitárias. Acontece que essas crianças estavam expostas a riscos, em um momento em que a pandemia se agravava, devido à ação de adultos irresponsáveis, em sua maioria com cargos governamentais.

Com a palavra, Ministério Público Federal.

Ah, sim: o Guedes viu aquelas pobres crianças circulando por aí e talvez tenha pensado:
“Melhor assim. Com um dólar mais barato, eles estariam na Disney com as empregadas domésticas, suas respectivas mães. O Brasil mudou.”