Fila da UTI no Rio é três vezes maior que o número de leitos livres

RIO – Dados da Secretaria de Estado da Saúde mostram que nesta segunda-feira há 640 pessoas esperando por um leito de UTI na rede pública carioca. 3,4 vezes o número de locais de terapia intensiva. A taxa de ocupação atual no estado é de 91% para UTIs e 80% para leitos de enfermagem

Festas clandestinas: Jovens marcam festas no Rio com grupos de mensagens e zombam da fiscalização que combate Covid-19

Historicamente, apenas parte dos municípios do Rio possui vagas de UTI, sendo administrada principalmente nas grandes cidades. Dos 92 municípios, apenas 44 possuem unidades de terapia intensiva para tratamento do coronavírus. Já são 15 municípios que não possuem vagas para atender pacientes graves, situação pior em Itaboraí, que tem uma superlotação de 181%.

A média móvel continua subindo

Pelo 16º dia consecutivo, o estado do Rio aumentou a média móvel de óbitos pela doença. Foram seis novas notificações de óbitos e 797 casos na segunda-feira. Como é um dia após um feriado prolongado, os dados podem ser apreendidos.

Confusão:Pais e diretores de escolas particulares ficam desorientados depois que Justiça suspende volta às aulas presenciais no Rio

A média móvel agora é de 2.569 casos e 221 mortes por dia. Em relação aos números de duas semanas atrás, houve um aumento de 74% no número de óbitos, o que indica uma tendência de crescimento da intensidade do contágio por estar acima da marca mínima estipulada de 15%.

De acordo com a SES, a mediana para um paciente conseguir uma enfermaria ou leito de UTI diminuiu nas últimas 24 horas. Para conseguir um leito de terapia intensiva são 17 horas e 4,5 horas para a enfermaria. O cálculo leva em consideração o tempo em que 50% dos pacientes conseguem uma vaga no leito destinada ao tratamento de Covid-19. A pasta, porém, não informava a quantidade de pacientes que aguardavam mais de 24 horas nem os critérios que ela utiliza para selecionar os casos considerados no cálculo.

Source