Fluminense faz acordo com a Serra Macaense de Matheus Babi e vai agora tentar fechar acordo com o Botafogo | Fluminense

Matheus BabiVitor Silva / Botafogo

Por Venê Casagrande

Publicado 02/04/2021 20:59

O Fluminense deu mais um passo para conseguir que Matheus Babi assinasse e está trabalhando com o Serra Macaense, clube que detém 100% dos direitos econômicos do atacante, atualmente emprestado ao Botafogo. Em reunião esta tarde, com a participação de representantes do atleta, o Tricolor fechou um acordo verbal com a equipe de Macaé e agora precisa acertar com o Alvinegro, que tem direito a uma vitrine de 40%.

O acordo entre o Fluminense e a Serra Macaense prevê o pagamento de 1 milhão de euros, cerca de 6,7 milhões de reais ao preço atual, parcelado durante a temporada. No encontro, o Tricolor, representado na figura do presidente Mário Bittencourt, deu a garantia à equipe de Macaé de que, caso haja atraso nas parcelas, o Verdão de Macaé poderá vender o atleta para outra equipe, e o O time de Laranjeiras manterá os percentuais de direitos proporcionais ao que anteriormente era pago.

Então, entre Fluminense e Serra Macaense está tudo bem. O próximo passo na negociação é o Tricolor conversar com o Botafogo para que Matheus Babi seja liberado. A questão é que o valor da multa rescisória é de 3 milhões de euros, e a Alvinegro teria direito a 1,2 milhão de euros se esse valor fosse pago. Como a equipa de Macaé arrecadou 1 milhão de euros, necessita da aprovação da equipa do General Severiano para se chegar a um acordo.

Se houver acordo, o Botafogo receberá 400 mil euros, cerca de 2,6 milhões de reais, pelo valor da vitrine. O Fluminense propôs envolver os jogadores na negociação, mas, a princípio, o Alvinegro não gostou da ideia. O bom relacionamento entre os dois conselhos pode ajudar nas negociações.

O convênio de Matheus Babi com o Fluminense prevê o contrato do jogador com validade de quatro temporadas e um “considerável” aumento salarial. Atualmente, em Botafogo, o atacante recebe apenas R $ 50 mil por mês.

O Atlético-PR chegou a fazer uma proposta oficial para ter Matheus Babi, mas Serra Macaense entendeu que o projeto apresentado seria mais benéfico para o atacante, principalmente em termos de aprendizado. No entendimento da diretoria da equipe de Macaé, o experiente Fred pode ser parte fundamental na evolução do jogador nas Laranjeiras.

ENTENDA O CONTRATO BOTAFOGO E SERRA MACAENSE:

Matheus Babi foi contratado pelo Botafogo por empréstimo até dezembro de 2021. Os direitos econômicos (100%) do atacante pertencem à Serra Macaense, que fez acordo com o Alvinegro para estabelecer multa rescisória durante o empréstimo de € 3 milhões, cerca de R $ 20,1 milhões, com um detalhe: o valor deve ser pago à vista, ou parcelado com o aval dos dois clubes.

A questão é que se um clube pagar a indenização (€ 3 milhões), a janela de pagamento do Botafogo durante o empréstimo é “apenas” 40% desse valor (€ 1,2 milhão). Nada impede, porém, que se trate de uma proposta com valor inferior ao colocado na cláusula se a rescisão não for aceita.

Se um clube fizer uma oferta inferior a € 3 milhões, o Serra Macaense pode negociar com o Botafogo, deixar € 1,2 milhão com o Alvinegro, valor que já receberia pela taxa de vitrine, e acabar com um valor menor do que poderia embolsar com a multa rescisória.

Mas a proposta mais interessante até agora foi a do Fluminense, de apenas 1 milhão de euros, por 25% dos direitos econômicos.

Source