Gafanhotos começam a atacar lavouras do interior do Rio Grande do Sul


Se a seca não bastasse, com o alívio das chuvas do final de novembro e previstas para o início de dezembro, agora os gafanhotos. Os insetos cruzaram a fronteira e já estão atacando lavouras no noroeste do Rio Grande do Sul, mostram reportagens e vídeos de produtores e imprensa da região.

Agricultores relatam ter avistado gafanhotos atacando as lavouras de soja em Santo Augusto e São Valério do Sul, segundo o jornal Alto Uruguai. Os registros foram feitos nas localidades de Pinhalzinho e São Bento, em São Valério do Sul, e Santo Antônio e São Valentim, no interior de Santo Augusto.

A Inspeção Veterinária de Santo Augusto informou que foi notificada e acionada a Secretaria de Produção Vegetal do governo do estado. A partir do diagnóstico, os dados serão enviados à Secretaria de Estado da Agricultura para avaliação das medidas a serem adotadas.

Os gafanhotos são da espécie Chromacris speciosa, que se alimentam de mata nativa, ervas daninhas e erva-mate no lado argentino, mas têm baixa mobilidade e não são tão vorazes e numerosas, ao contrário das espécies de insetos que se moviam rapidamente há quatro meses e ameaçou invadir em massa as plantações gaúchas. O clima muito seco e quente das últimas semanas tem favorecido o foco em Misiones, onde atacaram em anos anteriores.

Em junho, uma nuvem de gafanhotos muito agressiva se aproximou do oeste do Rio Grande do Sul, mas foi exterminada nas províncias argentinas de Corrientes e Entre Rios. Desde então, os focos de gafanhotos têm se concentrado no norte do país, a grande distância do sul do Brasil, o que explica por que o assunto tem saído regularmente dos jornais.