Infectados com coronavírus, pacientes rurais ocupam 13 leitos em Campo Grande


Campo Grande possui 93% dos leitos de UTI destinados aos pacientes Covid-19 ocupados e 65% dos leitos clínicos aos pacientes preenchidos e apenas 13 pacientes rurais estão internados na Capital.

Com leitos sobrecarregados, Governo do Estado e Prefeitura Municipal de Campo Grande já avaliam ampliar a capacidade de leitos na Capital. MS venceu 100.000 infectados pela doença e mais de 1.700 mortos.

A SES (Secretaria de Estado de Saúde) explicou ao Midiamax que, do total de pacientes regulamentados no interior, sete são pacientes que ocupam leitos de UTI e seis estão ocupando leitos clínicos. Verificação de saída:

  • Leitos de UTI: 1 paciente de Maracaju, 1 de Gloria de Dourados, 2 de Miranda, 1 de São Gabriel de Oeste, 1 de Aquidauana e 1 de Anastácio;
  • Camas clínicas: 1 de São Gabriel do Oeste, 2 de Terenos, 1 de Dois Irmãos do Buriti e 2 de Miranda.

Novas camas

A SES anunciou nesta segunda-feira (30) que o secretário da carteira, Geraldo Resende, vai a Brasília, no Distrito Federal, para articular a ampliação de mais 60 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), para tratar pacientes com coronavírus.

Segundo Resende, houve uma reunião com o secretário da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), José Mauro Filho, na Santa Casa de Campo Grande, para abrir 10 novos leitos de UTI.

“A abertura de novos leitos na Capital é fundamental para evitar o caos na saúde pública do estado. Estamos trabalhando para que o Hospital Regional de Mato Grosso do Sul receba mais 20 leitos de UTI Covid. Trabalhamos também, em conjunto com a prefeitura de Campo Grande, para a abertura de mais 20 leitos de UTI Covid do Hospital do Pênfigo, o único da rede privada que apontou essa possibilidade, considerando que os demais já trabalham no limite de suas ocupações ”, Informou.

Caso a abertura dos novos leitos não seja aprovada, a medida alternativa será a realocação de pacientes da Capital para unidades macroestaduais do Estado.

“Estamos em contato permanente com as secretarias municipais de Dourados, Ponta Porã, Naviraí, Três Lagoas e todos os demais municípios, onde instalamos leitos. Se necessário, podemos realocar esses pacientes para algumas regiões do estado ”, disse.

Nos últimos 15 dias, boletins epidemiológicos apontam 10.761 novos casos confirmados da doença. A taxa de internação também aumentou e, no dia 11 de novembro, estavam ocupados 206 leitos, e hoje o número dobrou para 450 internados.

“Estamos em uma curva ascendente em progressão geométrica. A circulação viral é muito alta no estado. Por isso, recomendamos o uso de máscara, higienização das mãos com álcool gel e manter distância social ”, explica a secretária adjunta da SES, Crhistinne Maymone”.