Mandetta diz que mortes de Covid-19 no Brasil são responsabilidade de Bolsonaro


Luiz Henrique Mandetta, ex-ministro da Saúde| Foto: Isac Nóbrega / PR

O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse ao presidente Jair Bolsonaro que 180 mil mortes eram o pior cenário estimado pela carteira da pandemia, caso fossem tomadas medidas para enfrentá-la. O Brasil superou a marca de 180 mil mortes causadas pela Covid-19, nesta sexta-feira (11). “Expliquei para ele, mesmo com explicações bem básicas: ‘olha, o vírus é um bicho que entra pelo nariz e tem que ter cuidado, passa de uma mão para a outra’, mas mesmo isso não foi suficiente para ele entender “, disse Mandetta em entrevista ao Em Pauta, da Globonews.

“Eu mostrei [estimativas] para o Brasil, por estado, por município, mostrei uma semana epidemiológica que se saíssemos assim, esse seria o desfecho. E, infelizmente, fico muito triste em saber que hoje o desfecho que mostrei a ele [Bolsonaro] e entregue por escrito se materializou. A responsabilidade é dele ”, disse o ex-ministro.

Mandetta criticou a falta de logística do ministério na compra de insumos, como seringas para vacinação. “O SUS tem expertise para grandes campanhas de vacinação? Tem, mas é preciso planejamento, gente da área, gente que sabe fazer saúde pública. Não dá para improvisar mais, não dá mais empurrar com a barriga. , chega, basta o que eu tinha para dar “, argumentou.

“O militar não sabe cuidar, não sabe curar, não sabe fazer saúde, por isso tá batendo na cabeça. Ele é capitão e general, ninguém sabe para onde vai a saúde pública no Brasil. Estamos sob uma intervenção militar estúpida ”, disse o ex-ministro.