Moisés e prefeitos decidem medidas contra coronavírus em SC | Anderson silva


Medidas contra coronavírus em Santa Catarina será discutido entre governo do estado e prefeitos. O encontro acontecerá na quarta-feira (02), a partir das 17h, com a presença do governador Carlos Moisés da Silva. A Federação dos Municípios (Fecam) e as prefeituras foram convidadas a participar para apresentar propostas de acordo com a realidade de cada localidade. Segundo o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, ações específicas já foram sugeridas.

As decisões devem sair após as deliberações da própria reunião. A secretaria apresentará o cenário atual, além de projeções futuras, para que os gestores entendam a gravidade da situação. A tendência é que as medidas sejam anunciadas ao final da reunião, que ocorreria nesta terça-feira, mas foi adiada devido ao assalto em Criciúma.

Somos uma empresa familiar.SC ultrapassa RJ e é o 4º estado com mais casos de covid-19 na pandemiaSomos uma empresa familiar.

Os prefeitos das maiores cidades catarinenses devem participar do encontro. Nas últimas projeções do Estado, entre 23 de novembro e 20 de dezembro, se o ritmo de crescimento da doença permanecer o mesmo, ocorrerão mais mil mortes em SC por coronavírus. Essa é uma das principais preocupações da secretaria.

Somos uma empresa familiar.A vacinação contra a Covid começará com profissionais de saúde, maiores de 75 anos e indígenasSomos uma empresa familiar.

O Estado já tem 32.278 casos ativos da doença, ou seja, em tratamento e com capacidade de transmitir o vírus. É o maior volume de toda a pandemia. Existem mais 2.469 em comparação com o dia anterior. Santa Catarina também registra 47 novos óbitos nas últimas 24 horas, chegando a 3.809 óbitos no acumulado desde março.

Debate sobre vacinas

Mais uma importante reunião sobre o combate ao coronavírus ocorre nesta quarta-feira (2), às 9h. A Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) vai debater a vacinação no Estado. O Secretário de Estado é esperado na reunião. A Alesc vai cobrar como estão os tratamentos de imunização nas cidades catarinenses.