NEC nomeia novo executivo-chefe para as operações no Brasil

A empresa de tecnologia japonesa NEC anunciou um novo líder para suas operações no Brasil como parte da estratégia da empresa de se reposicionar no segmento de rede móvel.

Angelo Guerra, anteriormente vice-presidente para as operações do México, América Central e Caribe da empresa, assumiu como presidente-executivo da subsidiária brasileira da NEC.

Segundo a empresa, Guerra – que antes de ingressar na NEC trabalhou por quase duas décadas na Nokia – vai liderar a empresa num “momento chave”. Isso está relacionado ao retorno da NEC ao segmento de rede móvel sob a estratégia Open RAN, que se concentra na redução de custos e no aumento da eficiência para operadoras móveis por meio da interoperabilidade entre diferentes fornecedores de hardware.

Além do foco constante de Guerra no planejamento de novos negócios e parcerias, bem como no desenvolvimento de novos serviços para sua base de clientes, o executivo terá como desafio o fortalecimento de algumas áreas da empresa, como a integração de tecnologias e fornecedores.

A nova estratégia significa que a operação brasileira terá “uma jornada intensa pela frente”, conforme avança para retomar os negócios da NEC com operadoras no aspecto móvel de redes, segundo Guerra. “Contamos com todo o apoio da nossa matriz para traduzir em prática esse plano”, disse o executivo.

Guerra também tem planos para fortalecer as ofertas de segurança das redes NEC, especialmente por meio de sua identificação e portfólios governamentais digitais. As ofertas de segurança da NEC foram reforçadas em 2016, quando ela adquiriu a Arcon Hardware, uma empresa brasileira de segurança cibernética.

“Nossa vantagem é que contamos com tecnologias próprias e avançadas, além das fornecidas pelos parceiros, além de expertise na execução ponta a ponta de projetos complexos”, acrescentou o executivo.

Yasushi Tanabe, que atuava como presidente da NEC Brasil desde o segundo semestre de 2018, assumiu como presidente das operações da empresa japonesa na América Latina em outubro.

Tanabe interveio após a saída do titular anterior Daniel Mirabile, que deixou a NEC no início de 2018 após liderar um processo de reestruturação com cortes de gastos e pessoal, bem como um aumento nas ofertas locais.

Source