Nenhum COVID no espaço! Cosmonautas podem ser imunizados com a vacina Sputnik V


Na quarta-feira (9), a agência espacial russa anunciou que planeja oferecer aos seus cosmonautas a vacina contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2), Sputnik V. Na ocasião, a agência reforçou que a imunização contra o COVID-19, baseada na vacina desenvolvida pelo Instituto de Pesquisas Gamaleya, não será obrigatória.

Vale lembrar que, na semana passada, a Rússia iniciou seu programa massivo de vacinação contra o COVID-19, com a vacina que homenageia o programa espacial responsável por levar ao espaço o primeiro satélite do mundo. Segundo os pesquisadores responsáveis ​​pelo estudo clínico do imunizante, o Sputnik V tem uma taxa de eficácia preliminar de 95%, mas os estudos ainda não foram concluídos ou publicados.

Inicialmente, os centros de vacinação em Moscou imunizariam apenas pessoas em grupos de risco para COVID-19, como pacientes cardíacos, além de profissionais de saúde, assistentes sociais e professores. Isso porque a ideia era priorizar, já nas primeiras doses, aqueles que estariam mais sob risco de infecção. Nesse sentido, o anúncio desta semana representa uma pequena mudança nos planos ao incluir cosmonautas.

Cosmonautas serão vacinados com Sptunik V contra COVID-19 (Imagem: Ake / Budap)

“Membros do corpo de cosmonautas e funcionários do Centro de Treinamento de Cosmonautas estarão entre os primeiros a serem vacinados”, disse o chefe da agência espacial russa, Dmitry Rogozin, em um comunicado divulgado pelo Fundo Russo de Investimento Direto. O Fundo foi e continua sendo responsável pelo financiamento da vacina durante o teste.

A vacina Sputnik V “terá um papel importante para garantir a segurança biológica do programa espacial russo”, explicou o ministro da Saúde do país, Mikhail Murashko, no mesmo comunicado.

Cosmonautas e a vacina Sputnik V

Segundo discurso do ministro da Saúde, a intenção de vacinar cosmonautas é evitar um eventual contágio do COVID-19 entre a equipe da agência espacial. No entanto, a vacinação da próxima tripulação que embarcará para a Estação Espacial Internacional (ISS) “ainda não foi decidida”, segundo autoridades do país.

Esta decisão será tomada pela Agência Médico-Biológica Federal Russa. De acordo com a programação da agência espacial, os próximos cosmonautas que embarcarão para a ISS – Oleg Novitsky, Pyotr Dubrov e Sergei Korsakov – farão isso apenas em abril de 2021.

Com a participação do Ministério da Saúde da Rússia, o Instituto Gamaleya desenvolveu a vacina que atua de duas formas na proteção contra o coronavírus, utilizando a plataforma de vetor viral não replicante, em duas doses. Para garantir imunidade mais duradoura, os pesquisadores apostam no uso combinado de dois tipos diferentes de vetores de adenovírus (rAd26 e rAd5), ambos conhecidos por causar um resfriado comum em humanos. No Sputnik V, os dois vírus são geneticamente editados e incluem proteínas no material genético Espinho do coronavírus.

Fonte: Space Daily

Gostou deste artigo?

Assine seu e-mail no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas novidades do mundo da tecnologia.