O Brasil enfrenta ‘situação muito grave’ na pandemia, diz a OMS

GENEBRA – Vários estados do Brasil estão em estado crítico e os hospitais estão sobrecarregados com a pandemia de COVID-19, disse a epidemiologista da Organização Mundial da Saúde Maria van Kerkhove em uma coletiva na quinta-feira.

“De fato, há uma situação muito séria acontecendo no Brasil agora, onde temos vários estados em estado crítico”, disse ela, acrescentando que muitas unidades de terapia intensiva de hospitais estão mais de 90% lotadas.

O Brasil, onde circula uma variante do vírus mais transmissível, tornou-se o epicentro da pandemia. O país atualmente é responsável por cerca de um quarto das mortes diárias de COVID-19 em todo o mundo, mais do que qualquer outro país, e seus esforços de vacinação têm sido prejudicados pela falta de vacinas.

São Paulo, a maior cidade do país, na quinta-feira acelerou os esforços para esvaziar antigas sepulturas, abrindo espaço para um número crescente de mortes de COVID-19, já que a prefeitura registrou um recorde diário de sepultamentos nesta semana.

A realocação de restos mortais é padrão nas operações do cemitério, disse o secretário municipal responsável pelos serviços funerários, em um comunicado. Mas assumiu uma nova urgência à medida que o Brasil sofre sua pior onda de coronavírus desde o início da pandemia, há mais de um ano.

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, foi amplamente condenado por seu tratamento da pandemia, desde minimizar a gravidade da doença até criticar os esforços iniciais para garantir vacinas e se opor a medidas de distanciamento social.

O Ministério da Saúde do Brasil relatou 3.769 novas mortes por COVID-19 na quinta-feira, perdendo por pouco um recorde diário pelo terceiro dia consecutivo.

Seguir Latin NBC em Facebook, Twitter e Instagram.

Source