O estudo da PrEP no Brasil continua apesar das interrupções do COVID-19


PrEP1519 é o primeiro estudo de demonstração na América Latina explorando a aceitabilidade, uso e persistência da profilaxia pré-exposição (PrEP) entre homens adolescentes que fazem sexo com homens (HSH) e mulheres transexuais (TGW) com idades entre 15-19 anos. O estudo está em andamento em três cidades do Brasil: Salvador, São Paulo e Belo Horizonte

Um membro da equipe clínica conduzindo uma consulta de telessaúde PrEP1519

Durante a pandemia COVID-19, a equipe do estudo PrEP1519 garantiu um plano de contingência para minimizar os efeitos das interrupções da pandemia nas pessoas que participaram do estudo, para iniciar e continuar acessando a PrEP e outros serviços de saúde sexual. Eles usam plataformas de telessaúde, como mensagens de texto, mídia social online (Instagram e Facebook) e um chatbot de inteligência artificial chamado Amanda Selfie para recrutar participantes, fornecer suporte e cuidados de colegas. A equipe também fornece entrega domiciliar discreta de preservativos, lubrificantes, duchas, autotestes de HIV e medicamentos para PrEP. Além disso, as consultas presenciais continuam possíveis, quando necessário.

Com base no resultado negativo do autoteste de HIV, a equipe clínica prescreve e envia pílulas de PrEP aos participantes pelo correio.

Importância de manter serviços de prevenção de HIV durante a pandemia COVID-19

Teste rápido para sífilis na clínica PrEP1519. A equipe clínica também aconselha que o parceiro do participante faça o teste de DST e HIV.

A história de Miguel *, um jovem HSH que ingressou no estudo em julho de 2019, destaca a importância de manter os serviços de prevenção do HIV durante a pandemia de COVID-19. Enquanto Pedro estava inscrito no programa de PrEP, ele relatou baixa adesão à medicação de PrEP. Durante o bloqueio, ele contatou a equipe PrEP1519 para um teste de HIV devido a uma infecção viral aguda. O teste foi facilitado nas condições de uma clínica PrEP1519. Ele testou negativo para HIV, mas positivo para sífilis e foi tratado no mesmo dia. Seu parceiro, no entanto, testou positivo para HIV, depois do qual Pedro fez o teste de HIV novamente. O segundo teste confirmou que ele era HIV negativo. Seguindo sua experiência, Pedro está mais convencido em aderir ao seu regimento PrEP.

* Nome alterado por anonimato

Pedro com o médico prescrevendo PrEP