O médico que queria salvar vidas e acabou no corredor da morte no Irã


  • Kawoon Khamoosh
  • BBC World Service

Legenda da foto,

Ahmadreza Djalali pertence a uma longa lista de estrangeiros detidos no Irã e acusados ​​de espionagem.

Parecia que ia ser outra viagem de negócios: passar duas semanas em Teerã e voltar para Estocolmo. Quatro anos depois, Vida Mehran-nia ainda se arrepende de não ter “se despedido devidamente” do marido.

Ahmadreza Djalali foi convocado em 2016 pelas autoridades iranianas. Lá, ele faria seminários e lecionaria como especialista em medicina de emergência.

No dia de sua partida, sua esposa ligou para lhe desejar boa sorte.

“Mesmo duas semanas de intervalo era demais para suportar”, Vida me disse enquanto tomava uma xícara de café no centro de Estocolmo. Na Suécia.