ONS confirma situação crítica dos reservatórios das principais hidrelétricas do país


O nível dos reservatórios das principais hidrelétricas do país está entre os mais baixos da série histórica, informou nesta terça-feira, 1º, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). A agência, responsável pelo monitoramento do fornecimento de energia em todo o país, divulgou nota um dia após a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidir retomar o sistema de bandeiras tarifárias, com o acionamento da bandeira vermelha no nível dois, o mais caro, e depois que o presidente Jair Bolsonaro afirmou, em suas redes sociais, que o país corre o risco de apagões devido aos “níveis baixíssimos” dos reservatórios.

Segundo o ONS, os reservatórios das regiões Sudeste e Centro-Oeste têm 17,7% da capacidade, inferior aos 18,9% registrados em 2019. “Nos últimos anos, o país passou por uma escassez de água que não permitiu a recuperação total dos níveis dos reservatórios”. disse ONS.

No momento, o armazenamento é apenas superior aos 15,8% registrados em 2014. No mês seguinte, em 19 de janeiro de 2015, o Brasil experimentou um apagão em 11 estados devido a picos de consumo associados ao forte calor. Na época, o governo insistiu que o sistema era robusto.

Segundo o ONS, as afluências (quantidade de água que chega aos reservatórios das hidrelétricas) no Sudeste / Centro-Oeste registraram o terceiro pior resultado da série histórica entre maio e novembro deste ano – período em que ocorre a seca caracterizado.

Mesmo em dezembro, quando tradicionalmente começa o período úmido, as chuvas estão bem abaixo da média. Para esta semana, até sexta-feira, dia 4, o ONS prevê ingressos médios de 37% da média histórica.

Para fazer frente a esse cenário, o ONS informou que, desde 17 de outubro, o Comitê de Acompanhamento do Setor Elétrico (CMSE), órgão presidido pelo Ministério de Minas e Energia (MME), já determinou o acionamento de termelétricas, a importação de energia na Argentina e no Uruguai e o afrouxamento das restrições nas bacias dos rios Itaipu, Ilha Solteira e São Francisco

“Os pleitos relativos ao afrouxamento de restrições às usinas de Ilha Solteira e à bacia do rio São Francisco ainda serão avaliados pela Agência Nacional de Águas (ANA)”, informou o ONS. Em ambos os casos, as bacias são de uso misto e, portanto, precisam da aprovação da ANA.

Nos próximos meses, o ONS informou que ainda é necessário aguardar a adoção de novas medidas. “Para os próximos meses, é preciso esperar e avaliar como se comportará o período úmido, que começa agora e vai até abril, para definir as estratégias de atuação”.

É possível operar com apenas R $ 25? O analista mostra como fazer a primeira negociação, atingir as metas de ganhos diários e controlar os riscos. Cadastre-se gratuitamente!