“ótimo momento do SPFC e minha carreira”


Fernando Diniz acredita que vive sua melhor versão todos os dias. Após a vitória por 3 a 0 sobre o Goiás, que garantiu a liderança do Brasileirão ao São Paulo, o treinador disse que está passando por um grande momento na carreira, destaca a fase da Seleção Paulista, mas reitera a necessidade de evolução.

Em entrevista coletiva após o jogo desta noite, o treinador paulista destacou a boa fase no Morumbi: “É sempre difícil responder, mas é um grande momento para o São Paulo e para a minha carreira. A forma como o time está evoluindo e no subjetivo coisas que não aparecem com tanta clareza para você que assiste Amizade, superação, trabalho em equipe estão cada vez mais harmoniosos.

“Minha melhor versão é hoje, mas quando foi ontem foi ontem. Quando eu estava no Fluminense era no Fluminense. O resultado é momentâneo na vida, nada dura para sempre. Sou um cara apaixonado pelo que faço, Amo futebol e adoro ajudar os jogadores. Hoje pode ser a hora do melhor resultado, mas sempre tem que melhorar. Amanhã, quando eu perder, não estou no melhor momento. Minha vida é dedicação, comprometimento e realização as coisas da melhor maneira possível. Todos lutam para conquistar e buscam os meios para conquistar as coisas. A equipe está na liderança do campeonato, o que me deixa muito feliz, sempre quis na minha vida. Temos que estar atentos e trabalhar para melhorar “, acrescentou.

Apesar da celebração do momento, Fernando Diniz afirma que há muito a melhorar no plantel: “Em primeiro lugar, há sempre muito a melhorar, até pela forma tática e modelo de jogo que adotamos aqui. Sempre podemos melhorar, e melhorar bastante “.

Confira outros trechos da entrevista coletiva de Fernando Diniz abaixo:

Oscilação em São Paulo: “A oscilação é uma coisa normal no futebol, assim como na vida. A forma como a equipa tem passado momentos mais difíceis faz-nos chegar a um nível que estamos a atingir agora. Isso faz com que adquira uma certa estabilidade. Subjetiva, humana relações dos jogadores .Pelas vezes que vacilamos, tivemos um grande sofrimento. Pagamos pela derrota que sofremos de Mirassol. As dores que a equipe sofreu no passado fizeram a equipe sofrer, aprendendo com as relações internas e conseguindo o melhor de cada um. Temos que pensar no esporte agora. Os jogos do Brasileiro são todos difíceis. As partidas podem ser fáceis, mas nunca são fáceis de antemão. um jogo seria fácil, tivemos dificuldades ”.

Retorno de Arboleda: “Arboleda é um jogador e uma pessoa que sempre teve uma relação muito boa. Ele, assim como Bruno, teve um momento em que saiu do time e voltou. Os dois voltaram melhor do que partiram. Temos quatro jogadores para duas posições, quem joga vai se sair muito bem. Reinaldo e Luan também estão indo bem quando precisam jogar lá. Temos que estar cientes de que precisamos continuar melhorando. É um processo, a chegada é apenas no final do campeonato. Muita gente disputando alguma coisa no campeonato. É um campeonato extremamente duro, temos que continuar melhorando e trabalhando muito ”.

Jogo sem sofrer gols: “É importante não fazer gols, mas mais importante do que não fazer gols é vencer. Marcar três gols e não tomar reforça o trabalho de todos. Hoje, de forma especial, o time manteve o foco e inibiu as chances de Goiás Marca”.

Destaque de Gabriel Sara para São Paulo: “Quanto à Sara, é muito fácil trabalhar com a Sara. Ele tem uma forma de jogar futebol que se encaixa perfeitamente com o que penso do jogo. Técnico, dinâmico, de suporte, ajuda em todas as fases do jogo. Um muito completo jogador. Vi que ele seria esse tipo de jogador. Ele pode ir longe onde estiver. É muito importante ter a Sara, é importante para tudo que ele faz para toda a equipe. um local mais técnico. Facilita a movimentação que os outros fazer. Dificilmente se encontra Sara sem trabalhar no jogo. Ou ela está trabalhando ou abrindo espaço para outros jogadores “.