Pazuello: ‘A pandemia não acabou’


No dia seguinte ao da declaração delirante do presidente Jair Bolsonaro de que estamos no “fim” da pandemia, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, mostrou um pouco mais os pés no chão e reconheceu que o país ainda enfrenta a pandemia da cobiça. 19

Presidente Jair Bolsonaro e ministro da Saúde Eduardo Pazuello. REUTERS / Adriano Machado / Arquivo de foto

“A pandemia não acabou. Ela continua, vamos viver com o coronavírus. Estaremos próximos do normal quando tivermos as vacinas, os antivirais que efetivamente combatem a doença ”, disse o general durante a inauguração oficial da Maternidade Célia Câmara, em Goiânia.

Três dias depois de se reunir com governadores para discutir a possibilidade do plano nacional de imunização incluir vacinas múltiplas e desacordo com o governador de São Paulo, Pazuello disse ainda que a imunização seguirá um calendário nacional. “Nenhum estado da federação será tratado de forma diferente. Nenhum brasileiro terá vantagem sobre os outros brasileiros ”, disse.

O comentário parece ser dirigido a João Doria (PSDB-SP), que anunciou que a vacinação contra o covid-19 em São Paulo vai começar já em janeiro.

O Ministério da Saúde ainda não apresentou um calendário nacional de vacinação definido. No país, ainda não há imunizante autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).