Pazuello diz que, depois de uma eleição em meio à pandemia, ‘não podemos mais falar em lockdown’ | Bem-estar


Dados do consórcio de mídia divulgados nesta terça-feira (1º), porém, mostram que a média móvel dos últimos 7 dias foi de 38.154 novos diagnósticos por dia, a maior desde 6 de setembro – quando chegou a 39.356. Isso representa um variação de 35% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica tendência de aumento dos diagnósticos.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) adotou uma série de medidas cautelares durante o primeiro e o segundo turnos das eleições municipais, com o objetivo de garantir a segurança do voto.

O uso de máscaras por eleitores e pesquisadores era obrigatório. O álcool gel foi disponibilizado nas seções e os eleitores foram orientados a trazer sua própria caneta. Também houve orientação quanto à distância nas linhas e dentro dos trechos.

Durante a campanha, porém, alguns candidatos contrataram a Covid-19, entre eles o candidato do Psol à prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos. O prefeito eleito de Goiânia (GO), Maguito Vilela (MDB), está internado há mais de um mês devido a complicações da doença.

“Se esse vírus se espalhar por aglomeração, por contato pessoal, por aerossóis e tivéssemos a maior campanha democrática que poderíamos fazer em nosso país, que é a municipal, nos últimos dois meses. Se isso não trouxesse nenhum tipo de aumento ou aumento da contaminação, não se pode falar em lockdown nem nada mais “, disse Pazuello durante audiência na comissão parlamentar que segue medidas de combate à pandemia

“Se todo o processo eleitoral dos municípios, com todas as campanhas, aglomerações e eventos, não causar nenhum tipo de aumento de contaminação em nosso país, não se fala mais em recuo social”, disse o ministro.

Pazuello fez a declaração em um momento em que alguns estados e cidades estão começando a rever as restrições de flexibilização devido a um novo aumento nos casos Covid-19.

Nesta quarta-feira (2), todo o estado de São Paulo voltou à fase amarela do plano de flexibilidade. Com isso, lojas, shoppings, bares, restaurantes e academias da capital paulista voltaram a reduzir o horário de atendimento e a lotação do público.

Todas as regiões de SP voltam à fase amarela do plano de flexibilidade nesta quarta-feira (2)

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), publicou, nesta terça-feira (1º), decreto que restringe o horário de funcionamento de bares e restaurantes no DF. Agora, os estabelecimentos devem encerrar suas atividades às 23h.

O anúncio foi feito um dia após a Secretaria de Saúde do Distrito Federal alertar para uma possível segunda leva do Covid-19.

O ministro afirmou que o estoque com 6,86 milhões de testes do Covid-19 armazenado em Guarulhos terá validade estendida.

Segundo Pazuello, manter os testes em um depósito de Guarulhos permite ao ministério manter esses testes em uso “da melhor maneira”.

O ministro explicou que os kits, quando foram adquiridos, tinham validade “emergencial” e “muito pequena” de oito meses, e que essa validade será renovada.

“Essa validade inicial seria e será renovada porque todos os componentes do teste têm validade muito mais estendida”, disse o ministro.

“Sempre soubemos disso, não é novidade. O processo de revalidação começou há muito tempo. Discussões com a empresa. As discussões técnicas com a Anvisa são anteriores, não são novas ”, acrescentou.

Vídeos: saiba mais sobre o coronavírus nas reportagens do Jornal Nacional: