Petrobras bate novo recorde de vendas mensais de ULSD em março

luzes

As vendas de ULSD chegam a 416.000 b / d

Melhor recorde estabelecido em outubro

Utilização da refinaria em 80%

Rio de Janeiro –
A estatal brasileira Petrobras estabeleceu um novo recorde de vendas de ULSD em março, ignorando as paralisações para manutenção e aumentando a produção da refinaria para 80,2% da capacidade instalada, disse a empresa em 1º de abril.

Não registrado?

Receba alertas diários por e-mail, notas de assinantes e personalize sua experiência.

Registrar agora

A Petrobras vendeu cerca de 416.000 b / d de ULSD em março, superando o recorde anterior de 407.000 b / d estabelecido em outubro de 2020 em 2,2%, disse a empresa. As vendas totais de diesel também aumentaram 35% com relação ao ano anterior, para 791.000 b / d.

“As vendas recordes de ULSD e o crescimento nas vendas totais de diesel refletem atos comerciais e operacionais implementados pela empresa com o objetivo de mitigar os efeitos da pandemia COVID-19 sobre a demanda de combustível”, disse a Petrobras. A Petrobras tem aumentado a produção de diesel S-10, que contém 10 partes por milhão de teor de enxofre, em um esforço para substituir o diesel S-500 mais sujo.

A maioria dos novos equipamentos pesados ​​e veículos produzidos na última década roda em ULSD, mas alguns equipamentos mais antigos fabricados antes de 2010 ainda queimam o combustível com alto teor de enxofre, de acordo com funcionários da indústria.

O recorde de vendas veio como uma surpresa, dado o recente aumento nos casos de coronavírus e mortes que levou ao bloqueio na maior economia da América Latina. O estado do Rio de Janeiro, por exemplo, implementou um feriado de 10 dias no final de março, já que o número de mortos no Brasil disparou para mais de 3.500 por dia. Além disso, o enorme setor agrícola do país, que consome grandes volumes de diesel, estava saindo do período de entressafra de pousio e apenas começando a acelerar a atividade.

O setor agrícola teve papel fundamental no apoio à demanda interna no segundo semestre de 2020, quando safras recorde impulsionaram o consumo do combustível.

As vendas de diesel do quarto trimestre de 2020 saltaram 8,2% ano a ano para 754.000 b / d, a Petrobras disse em um relatório de produção e vendas de 2 de fevereiro. As vendas, no entanto, caíram 5,2%, para 687.000 b / d em 2020. O ULSD representou 48% das vendas de diesel em 2020, incluindo 55% em dezembro, de acordo com a Petrobras. Isso representou 41% das vendas de diesel em 2019.

A forte demanda do segundo semestre de 2020 por ULSD também levou a recordes de produção em várias refinarias, com a Refinaria de Paulínia, ou REPLAN, no estado de São Paulo, e a Refinaria Alberto Pasqualini, ou REFAP, no estado do Rio Grande do Sul batendo recordes em outubro; Refinaria Presidente Bernardes, ou RPBC, no estado de São Paulo em novembro; e a Refinaria Gabriel Passos, ou REGAP, em Minas Gerais em dezembro, informou a Petrobras.

A Petrobras havia indicado anteriormente que a recuperação na demanda de diesel estava ganhando impulso em 2021, incluindo funcionários dizendo que as vendas de janeiro haviam ultrapassado os níveis pré-pandemia no primeiro mês do ano.

Dados da Agência Nacional do Petróleo, ou ANP, indicaram uma desaceleração da demanda nos últimos três meses principalmente relacionada à atividade agrícola mais fraca. As vendas de diesel recuaram pelo terceiro mês consecutivo em fevereiro, para 27,68 milhões de barris, informou a ANP em 31 de março.

Aumento de produção?

Enquanto o crescimento futuro das vendas permaneceu incerto devido às perspectivas de baixa do país durante a pandemia, a Petrobras também indicou que as taxas de utilização das refinarias se recuperaram das baixas recentes, apesar dos relatórios contraditórios da ANP e do Ministério de Minas e Energia. A Petrobras disse que o fator de utilização da refinaria da empresa foi de 80,2% em março.

Mas as taxas de utilização das refinarias tiveram tendência de queda em fevereiro e março, de acordo com o relatório de impacto do coronavírus do Ministério de Minas e Energia divulgado em 29 de março. A utilização da capacidade das refinarias oscilou entre 77% e 82% durante grande parte de fevereiro, antes de cair para cerca de 68% no início de março. A taxa era de 72% em 28 de março, de acordo com o ministério.

A Petrobras opera cerca de 98% da capacidade de refino do Brasil.

A produção de diesel também caiu ligeiramente em fevereiro, de acordo com a ANP. As refinarias produziram 20.632 milhões de barris de diesel em fevereiro, queda de 0,1% em relação aos 20.643 milhões de barris em fevereiro de 2020, informou a ANP em 30 de março. mês também caiu 6,4% em relação aos 22.031 milhões de barris de janeiro.

A produção futura pode ser afetada por projetos de manutenção e expansão; A Petrobras acrescentou que o recorde de vendas de março foi alcançado apesar das paralisações obrigatórias em três refinarias não divulgadas. Embora os projetos eventualmente aumentem a capacidade de produção de diesel, a produção pode sofrer quedas nos próximos meses.

A Petrobras, por exemplo, iniciou os preparativos para fazer a manutenção da Refinaria do Nordeste, também conhecida como Abreu e Lima e RNEST. A empresa também disse no dia 3 de março que está iniciando os preparativos para aumentar a produção de ULSD na Refinaria Duque de Caxias, ou REDUC, fora do Rio de Janeiro. O projeto de expansão dobrará a produção de ULSD na refinaria até 2023. Projetos de expansão adicionais estão programados para duas outras refinarias no final do ano.

A perda de produção poderia ser parcialmente compensada pela mistura de biodiesel mais alta do país, que aumentou para 13% em 1º de março. O Brasil planeja aumentar o volume de mistura de biodiesel com diesel vendido na bomba para 15% até março de 2023.


Conectar o setor de energia não apenas às informações críticas, mas entre si – é onde os negócios são feitos. Faça networking com centenas de participantes importantes, ouça discussões ao vivo sobre as últimas tendências e ganhe exposição aos líderes do setor.

Saber mais



Source