Restaurantes e barracas de praia devem funcionar com 50% da capacidade e fechar às 22h no final do ano no CE | Coronavírus em Fortaleza, Ceará e Mundo


O não cumprimento das medidas do decreto de fim de ano no Ceará pode resultar em sanções aos estabelecimentos (Foto: Bárbara Moira)

Decreto especial para o período de final do ano no Ceará, com medidas específicas de combate à Covid-19, define que restaurantes, barracas de praia, praças de alimentação de shopping, lojas de conveniência em postos de gasolina e estabelecimentos similares operam a 50% da capacidade e encerram às 22h. Atualmente, o horário de funcionamento desses locais é de até 23 horas. As determinações começam a valer a partir da próxima terça-feira, 15, e seguem até o próximo dia 4 de janeiro.

O documento foi publicado na noite desta sexta-feira, 11, no Diário Oficial do Estado (DOE). Os shoppings e lojas de rua podem, se desejarem, estender o horário de atendimento, das 9h às 23h, com limite de 50% de ocupação. De acordo com o texto, é necessário “incluir o número de clientes, funcionários e demais funcionários presentes simultaneamente na lotação máxima de cada estabelecimento, em shopping ou rua comercial”.

Os eventos sociais, corporativos, privados ou públicos ficam suspensos durante a vigência do decreto. Festas em áreas comuns de condomínios residenciais e mistas também serão proibidas. As reuniões residenciais são restritas a 15 pessoas, incluindo residentes. As entidades públicas estão proibidas de realizar festas de Réveillon na virada do ano, a menos que seja exclusivamente em mídia virtual. Nos hotéis e pousadas, o número máximo de pessoas em quartos é de 3 adultos ou 3 adultos e 3 crianças. O setor hoteleiro deve obter antecipadamente o Selo de Seguro de Lazer, a ser solicitado à Sesa, respeitando o limite de 80% da lotação.

O não cumprimento das medidas do decreto pode resultar em sanções. Se após a avaliação os estabelecimentos voltarem a infringir as regras, será feito novo laudo e o local ficará proibido e proibido de funcionar por sete dias, só retornando com parecer favorável da fiscalização.

As medidas foram anunciadas pelo governador Camilo Santana (PT) na noite desta sexta-feira, 11, para evitar aglomerações e conter o aumento da contaminação pela Covid-19, que vem sendo percebida no Ceará desde outubro, principalmente em Fortaleza, onde ocorre a média de mortes também foi alterado, com possibilidade de aumento.

Veja as disposições contidas no decreto

> Restaurantes, barracas de praia e hotéis:
Fechamento de restaurantes, barracas de praia, praças de alimentação e restaurantes de shopping centers, lojas de autoatendimento às 22h;

Proibição de festas, de qualquer natureza, em quaisquer restaurantes, barracas de praia, hotéis e outros estabelecimentos em ambientes fechados e abertos;

Limite de 6 pessoas por mesa em restaurantes e similares, com limite de 50% da sua capacidade máxima. É proibido ficar em pé, inclusive na calçada, e esperar na calçada.

> Shoppings e lojas de rua:
Funcionamento autorizado das 9h às 23h, mantendo o horário de fechamento da praça de alimentação e restaurantes às 22h e o limite de ocupação de 50%;

Limitar a 50% a ocupação dos estacionamentos dos shoppings, sendo as vagas proibidas demarcadas e fiscalizadas;

Controle eletrônico nas principais entradas dos shoppings, informando, por meio de painéis, a quantidade máxima permitida e a quantidade de pessoas naquele momento no local;

Inclusão do número de clientes, funcionários e demais funcionários presentes simultaneamente na lotação máxima de cada estabelecimento, em shopping ou rua comercial.

> Eventos e áreas de uso comum:
Suspensão de 15/12/2020 a 01/04/2021 de quaisquer eventos sociais e corporativos, privados ou públicos, em ambientes abertos ou fechados no Estado;

Proibição de festas em áreas comuns de quaisquer condomínios, residenciais, de lazer e mistos;

Limitação da capacidade máxima para festas residenciais, em cada unidade, a 15 pessoas, entre residentes e funcionários. No caso de condomínios, a lotação máxima das unidades deve ser incluída em local de fácil visualização dos locatários;

Vedação à realização de festas de Réveillon (31 de dezembro) por entidades públicas, exceto em meio exclusivamente virtual

Acesse a cobertura completa do Coronavirus>