Rio: Comitê sugere fechamento de escolas e proibição de banhistas – 02/12/2020


A Comissão Científica da Cidade do Rio de Janeiro solicitou, em reunião realizada hoje com o prefeito Marcelo Crivella (republicanos) e a Secretaria Municipal de Saúde, que medidas de isolamento social sejam novamente reforçadas após o aumento do número de 19 casos na cidade . Um dos integrantes do grupo detalhou alguns dos pedidos feitos às autoridades municipais – entre eles, o fechamento de escolas e a proibição de banhistas nas praias.

“Ficou claro que houve um aumento da procura de leitos, houve um aumento do número de casos e isso se deve à desobediência às normas que foram estabelecidas. É uma novidade para médicos de todo o mundo e estamos aprendendo e sendo espancado muito com esse vírus ”, contou ao Twitter o médico Sylvio Provenzano, conselheiro de CREMERJ (Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro).

O Comitê, formado por médicos, pesquisadores e funcionários da Prefeitura do Rio, foi criado no início da pandemia para analisar a situação da covid-19 em Município.

De acordo com um boletim enviado pela Secretaria de Estado da Saúde, havia 3.415 novos pacientes infectados com covid-19 no estado hoje. No total, são 361.897 casos confirmados da doença desde o início da pandemia.

“O prefeito, depois da reunião, disse que vai se reunir com o Governo do Estado para tomar decisões. Pedimos a ele para aumentar o número de transporte público. A redução dos números [de ônibus] faz com que os poucos que estão circulando em condições mesmo que duvidosas estejam superlotados ”, relatou Provenzano.

O médico e membro da Comissão Científica disse ainda que foi pedido a Crivella que a câmara municipal proíba o funcionamento de bares e restaurantes a partir das 22 horas e que as pistas de dança e discotecas sejam encerradas, para evitar aglomerações. “Eventos também não deveriam ser permitidos. Pediu-se também um maior controle e participação da Guarda Municipal para fiscalizar o uso de máscaras, inclusive nos transportes públicos e no fechamento de escolas”, acrescentou Provenzano.

Na reunião, foi até solicitado o fechamento do comércio, mas o pedido não foi atendido pelos demais membros do Comitê – em sua maioria, as lojas estão seguindo os protocolos exigidos, como verificação de temperatura dos clientes e fiscalização do uso do mascarar. Também foi sugerido que não fossem realizadas cirurgias eletivas, mas mantidas as cirurgias oncológicas e neurológicas, ou seja, as de maior urgência, segundo o médico.

“A situação é muito preocupante, mas a Secretaria Municipal de Saúde entendeu as nossas solicitações. Havia participantes da Vigilância em Saúde, que é vinculada à Secretaria de Saúde do Estado, mas a carteira não participava e não havia ninguém autorizado a falar em nome da Governo do Estado ”, concluiu Provenzano.

De acordo com outro integrante que participou do encontro, as medidas sugeridas devem ser discutidas amanhã, durante reunião entre o prefeito Crivella e o governador em exercício Claudio Castro.

Para Twitter, a Secretaria Estadual de Saúde disse que não se manifestaria sobre o caso, já que, segundo a pasta, a comissão científica é apenas do município.