Sem máscaras, 200 estudantes de medicina comemoram na Argentina – Notícias

Em uma semana em que a Argentina viu um aumento nos casos de infecções por coronavírus recente, as imagens de uma festa com cerca de 200 alunos do curso de medicina da Universidade Nacional do Rosário, praticamente sem máscara ou distância social, geraram grande polêmica no país.

Leia também: Com a pandemia, a pobreza atinge 42% das pessoas na Argentina

O prefeito da cidade, Pablo Javkin, criticou os estudantes e pediu que fosse feita uma investigação para saber como foi organizada a reunião e por que nenhum dos protocolos contra o covid-19 foi seguido.

“Particularmente, de uma faculdade de saúde, é onde eu menos esperava. Temos que conhecer os fatos não só por indignação, o que é justo, mas também para entender os limites”, disse ele em entrevista ao jornal Clarín. “Falamos sobre ventilação e ar livre, mas não dá para fazer tudo ao ar livre, tem que usar máscara e fazer a distância”.

Festa no rio

Realizada anualmente por alunos que chegam no último período, a festa conhecida como “Bajada” acontecia na praia fluvial do balneário La Florida, em Rosário, às margens do rio Paraná. Para chegar ao local onde se conheceram é necessário pagar ingresso e no momento é proibido entrar com bebidas alcoólicas.

Além disso, os funcionários de segurança do local obrigam os usuários a se limparem antes de entrar e comunicar os regulamentos de saúde. Na praia fluvial, existem divisões para evitar que grandes grupos se formem com familiares ou amigos.

Os alunos foram encontrados na seção de fumantes, separada das demais áreas por cordas. As fotos mostram todos os aglomerados, sem distanciamento e apenas uma pessoa pode ser vista com a máscara.

Alguns desses alunos participaram, há poucos dias, de um protesto para pedir às autoridades permissão para iniciar a prática médica e poder colaborar com as ações de combate à pandemia.

Também consumiam bebidas alcoólicas, que a administração local disse que podem ter entrado por setores paralelos, sem o conhecimento dos guardas.

Segundo a imprensa local, a festa aconteceu na tarde da última quarta-feira (31) e os alunos chegaram à praia em pequenos grupos. O evento começou às 14h e foi apenas às 18h que os responsáveis ​​pelo spa, com o apoio da guarda civil da cidade, pediram que saíssem do local, o que os alunos fizeram de forma pacífica.

“Isso vai contra tudo o que ensinamos e promovemos na faculdade”, reclamou o diretor de saúde da UNR, Jorge Molinas, em uma rádio local. Ele disse que ficou sabendo do evento nas redes sociais e que ligaria para os alunos para um bate-papo.

A universidade retomou as aulas presenciais neste ano, mas em grupos de apenas 6 alunos por vez, usando máscaras e a distância.

Source