Socorro de Emergência 2021: veja os motivos da recusa e o que fazer em cada caso | Ajuda de emergência

De acordo com o Ministério da Cidadania, existem dois tipos de resultados para inelegibilidade – um que pode ser reavaliado, o outro definitivo, ou seja, que não permite contestação.

VÍDEO: Emergência 2021 – entenda as regras da nova rodada

Razões para inelegibilidade que permitem contestação e o que fazer

Entre os menores de 18 anos, apenas mães adolescentes têm direito ao benefício. A contestação só é possível se a data de nascimento informada no cadastro estiver incorreta.

  • O que fazer: atualize essas informações no site do IRS (clique aqui para acessar) antes de solicitar a disputa.

Há casos em que o CPF é registrado junto com a certidão de óbito do titular.

  • O que fazer: procure um cartório de registro civil para corrigir as informações antes de solicitar uma impugnação.

Pensionista por morte

Quem recebe pensão por morte não tem direito ao auxílio.

  • O que fazer: se a informação estiver errada, o trabalhador pode contestar.

Quem recebe o Seguro Desemprego também não pode receber o Auxílio.

  • O que fazer: verifique no aplicativo da CTPS Digital ou Sine Fácil a situação de recolhimento do seguro-desemprego ou encerrado. Se não estiver recebendo, o trabalhador pode fazer a defesa.

Funcionários públicos federais não podem receber o auxílio.

  • O que fazer: se o trabalhador já foi demitido, ele precisa procurar o órgão antes de fazer a impugnação.

Quem tem emprego formal não pode receber o benefício.

  • O que fazer: verifique o serviço “Declaração de Contribuição (CNIS)” no formulário “Meu INSS” ou na “CTPS Digital” se o vínculo empregatício já foi encerrado. Se não tiver sido encerrado, entre em contato com seu empregador para atualizar essas informações antes de abrir a disputa.

Registro ativo de trabalho intermitente

O trabalho intermitente também é considerado uma relação de emprego.

  • O que fazer: verifique o serviço “Declaração de Contribuição (CNIS)” no formulário “Meu INSS” ou na “CTPS Digital” se o vínculo empregatício já foi encerrado. Se não tiver sido encerrado, entre em contato com seu empregador para atualizar essas informações antes de abrir a disputa. .

Renda familiar mensal per capita

O benefício não é pago se a renda familiar for superior a R $ 550 por pessoa.

  • O que fazer: Verifique no serviço “Declaração de Contribuição (CNIS)” do aplicativo “Meu INSS” ou na “CTPS Digital” se a informação sobre recebimento de renda de familiares está correta antes de contestar.

Receita total acima do limite de ajuda

Se a renda familiar total for superior a R $ 3.300, o benefício não é pago.

  • O que fazer: Consulte o serviço “Declaração de Contribuição (CNIS)” no formulário “Meu INSS” ou na “CTPS Digital” para verificar se as informações sobre recebimento de renda de familiares estão corretas antes de contestar.

Benefício previdenciário e / ou assistencial

Os benefícios previdenciários (como aposentadoria) ou previdenciários (como o Benefício de Pagamento Continuado – BPC / LOAS) não permitem que você receba o auxílio.

  • O que fazer: Verifique no aplicativo Meu INSS o status do seu benefício. Se você não recebe mais nenhum benefício previdenciário ou assistencial, mas o pagamento ainda não foi encerrado, solicite uma atualização do aplicativo Meu INSS antes de contestar.

Presos fechados não têm direito ao benefício.

  • O que fazer: se o trabalhador não estiver preso, mas essa informação aparecer, ele pode entrar com uma ação de impugnação.

Instituição de Assistência à Prisão

Beneficiários de Assistência para Reclusão não têm direito à Assistência.

  • O que fazer: caso o trabalhador não receba mais esse atendimento, pode solicitar uma nova análise.

Prisioneiro sem identificação do regime

Quando não há identificação, o sistema considera um regime fechado, que não dá direito ao Auxílio.

  • O que fazer: se a pessoa estiver presa em regime diferente do fechado, poderá solicitar nova análise do pedido.

Vínculo nas Forças Armadas

O pessoal militar não tem direito a ajuda.

  • O que fazer: caso o trabalhador não esteja mais vinculado ao Exército, Marinha ou Aeronáutica, pode ser necessária uma análise mais aprofundada.

Moradores do exterior não recebem assistência.

  • O que fazer: se for informado incorretamente com a Polícia Federal que o trabalhador não mora mais no Brasil, ele deverá solicitar a correção da informação antes de contestar o auxílio.

Benefício de emergência (BEm)

Quem recebe o benefício por contrato de trabalho suspenso ou redução da jornada de trabalho não tem direito ao Auxílio.

  • O que fazer: se o trabalhador não receber mais o benefício, ele pode entrar com a impugnação.

Militar na família sem renda identificada

Um dos critérios de inelegibilidade é ter membro das Forças Armadas na família com renda não identificada.

  • O que fazer: se a informação estiver incorreta, é possível contestar o resultado.

Você deve ter um CPF regularizado para receber o Auxílio.

  • O que fazer: regularizar o CPF (veja aqui como fazer) antes de solicitar a disputa.

Estagiário do Governo Federal

A condição não permite o recebimento da Ajuda.

  • O que fazer: caso o estágio já tenha sido concluído, é necessário atualizar as informações com a agência onde você trabalhou antes de solicitar a nova análise.

Médico residente ou multiprofissional do Governo Federal

A condição não permite o recebimento da Ajuda.

  • O que fazer: se as informações estiverem desatualizadas, regularize sua situação junto ao órgão onde trabalhou, antes de contestar o resultado.

Recursos não gerenciados

Quem não retirou parcelas do Auxílio 2020 não poderá receber o benefício este ano.

  • O que fazer: caso as parcelas anteriores do Auxílio Emergencial não tenham sido integralmente devolvidas à União, é possível contestar o resultado.

Bolsista CAPES, CNPQ, MEC ou FNDE

As condições não permitem que você receba o auxílio.

  • O que fazer: se você não for mais bolsista de ambos os órgãos, a inelegibilidade poderá ser contestada.

Servidor judiciário ou estagiário

As condições não permitem que você receba o auxílio.

  • O que fazer: se o estágio já foi realizado, as informações precisam ser atualizadas para que o desafio seja feito.

Motivos de inelegibilidade que NÃO permitem contestação

Se a sua recusa for um desses casos, não há como contestar.

  • Servidor público – Ter renda formal como agente público (RAIS)
  • Mandato eletivo – Ser um político eleito
  • Lucro tributável acima do teto – Ter recebido, em 2019, lucro tributável superior a R $ 28.559,70
  • Lucros isentos acima do teto – Ter, em 2019, lucro isento, não tributável ou exclusivamente tributado na fonte, cujo valor anual seja superior a R $ 40.000,00.
  • Valor em mercadorias acima do teto – Ter, em 31 de dezembro de 2019, a posse ou propriedade de bens ou direitos, inclusive terras nuas, com valor total superior a R $ 300.000,00.
  • Dependente do titular com renda tributável acima do teto – Ser dependente de declaração de imposto de renda que recebeu receita acima de R $ 28.559,70 em 2019.
  • Dependente de pessoa com renda isenta acima do teto – Ser dependente de declarante de imposto de renda que recebeu, em 2019, lucro isento, não tributável ou exclusivamente tributado na fonte, cujo valor anual foi superior a R $ 40.000,00
  • Dependente do titular com valor em ativos acima do teto – Estar dependente de declarante de imposto de renda que possuía, em 31 de dezembro de 2019, a posse ou titularidade de bens ou direitos, inclusive terras descobertas, com valor total superior a R $ 300.000,00.
  • Servidor municipal / estadual / distrital – Ser servidor estadual, municipal ou distrital.
  • Família já contemplada – Pertencente a família que já possui uma pessoa recebendo Atendimento de Emergência 2021.

Source