Toque de recolher em SC começa sábado à noite | Santa catarina


O regredir em Santa Catarina passa a valer a partir das 23h deste sábado (5). O decreto que regulamenta a medida contra o contágio do coronavírus foi publicado no Diário Oficial do Estado na noite desta sexta-feira (4).

Com a nova regra, as pessoas precisam ficar em casa entre meia-noite e 5 da manhã. A medida é válida por 15 dias. De acordo com o decreto:

  • o serviços e atividades não essenciais podem ser executados até meia-noite e a entrada de clientes é permitida até às 23h;
  • a circulação e “aglomeração de pessoas em espaços, públicos e privados, e em vias públicas “não pode ocorrer da meia-noite às 5h da manhã;
  • O transporte público municipal pode funcionar, que respeitou o 70% de ocupação da capacidade.

A nova norma não se aplica a quem trabalha em serviços essenciais, como segurança e saúde públicas. Além disso pode passar da meia-noite às 5 da manhã para pessoas que estão em uma emergência ou que estão indo ou voltando do trabalho.

O o uso de máscara torna-se obrigatório em todos os lugares, exceto em residências, enquanto durar o decreto de calamidade pública estadual.

Segundo o governo, o toque de recolher é necessário nesse momento para diminuir a circulação das pessoas e a velocidade de transmissão do vírus.

Secretário de Estado da Saúde de SC fala sobre ações contra o avanço da pandemia

“Proibida a circulação da meia-noite às 5h, a intenção é justamente atingir aquelas atividades que não são essenciais. Porque se vê claramente que o vírus se espalha em ambientes lotados e que não cumprem as regras, é o que tanto estamos percebendo nas praias, durante o dia, infelizmente, e também nas festas, várias festas que acontecem à noite. É aqui que precisamos atuar também ”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, André Motta, em entrevista ao Jornal do Lunch.

Entenda como o toque de recolher em SC deve funcionar

Entenda como o toque de recolher em SC deve funcionar

Em um mês, os casos ativos da Covid-19 – aqueles em que as pessoas são infectadas e transmitem a doença a outras pessoas – aumentaram mais de 175% no estado.

O secretário de Estado da Saúde, André Motta, pediu ajuda à população porque, segundo ele, o risco de colapso do sistema de saúde é real.

Segundo boletim do governo estadual divulgado nesta sexta-feira (4), Santa Catarina tem 389.751 pacientes confirmados com a doença, com 3.939 mortes.

A taxa de ocupação dos leitos em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da rede pública atingiu 86,97%. As regiões Oeste, Serra e Vale do Itajaí apresentam taxas acima de 90%. Se considerada apenas a ocupação de leitos de adulto, o estado chega a 92,33%.

Mapa de risco para Covid-19 em SC – atualização em 2 de dezembro – Foto: Reprodução / SES

Em relação ao mapa de risco, do total de 16 regiões de saúde de Santa Catarina, 15 estão em risco gravíssimo para a doença e uma, o Extremo Oeste, em risco grave. A atualização é quarta-feira (2).

VÍDEOS: Mais assistidos pelo G1 nos últimos 7 dias