Transferência de corpos de Alagoas será feita pela FAB


O governador de Alagoas, Renan Filho (MDB), anunciou esta tarde que o transporte dos corpos das vítimas alagoanas do acidente ocorrido ontem na BR 381, em Minas Gerais, será feito por aviões da FAB (Força Aérea Brasileira). Ontem, um ônibus que saía de Mata Grande (AL) com destino a São Paulo caiu de um viaduto no alto da João Monlevade, interior de MG, deixando 18 mortos e 23 feridos.

“Acabei de falar com o presidente Jair Bolsonaro para solicitar que um avião da Força Aérea Brasileira transfira os corpos das vítimas do acidente de ônibus ocorrido em Minas Gerais. O presidente determinou uma ação imediata. Agradeço em nome do povo alagoano a atenção ao nós “ele escreveu no Twitter.

Pouco depois, Renan Filho publicou um vídeo no Instagram explicando a logística do traslado. Segundo ele, os corpos serão levados de Belo Horizonte para Paulo Afonso (BA), onde fica o aeroporto mais próximo. Em seguida, os veículos do Corpo de Bombeiros serão responsáveis ​​pelo transporte até Alagoas, de onde cada corpo será encaminhado para sua cidade de origem.

Na noite anterior, o governador alagoano já havia decretado luto oficial de três dias no estado.

Notário dentro do IML será reativado

A Polícia Civil de MG informou que os corpos serão liberados assim que forem identificados. A empresa informou que solicitou o registro aos estados de Alagoas, Santa Catarina, São Paulo e Bahia para agilizar o processo de identificação.

Os corpos são encontrados no IML (Instituto Médico Legal) de Belo Horizonte, para onde foram retirados esta manhã, depois de transferidos do IML de João Monlevade.

A polícia também anunciou, em entrevista coletiva realizada esta tarde, que o TJ-MG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais) vai reativar um posto avançado dentro do IML para que as certidões de óbito sejam registradas no próprio local.

Esta manhã, foram divulgadas as identidades de algumas das vítimas do acidente. Ao todo, 13 pessoas morreram no local. Outros cinco morreram no hospital. Outras 23 pessoas foram transportadas para o hospital Margarida de João Monlevade – destas, três foram transferidas para o hospital João 23.

A polícia disse que foi muito difícil identificar alguns dos corpos porque, no momento do acidente, objetos pessoais, como documentos de identidade, podem se soltar. Os delegados afirmaram que todas as mortes foram causadas por traumas.

Mapa mostra onde o ônibus caiu do viaduto em Minas Gerais

Imagem: Reprodução / Google Arte / UOL

A Polícia Civil informou que foi iniciada uma investigação para apurar o ocorrido. A principal suspeita é de que tenha ocorrido uma falha mecânica nos freios, pois o Corpo de Bombeiros informou que o motorista gritou que havia perdido a frenagem antes de se atirar do coletivo.

A causa, entretanto, só deve ser esclarecida com o resultado da perícia, que pode levar 30 dias para ficar pronta. A altura da queda foi de aproximadamente 35 metros, em uma área próxima ao entroncamento com a BR-262, na Estrada de Ferro Vitória-Minas, e também próximo ao rio Piracicaba.

O ônibus transportava 46 passageiros no momento da tragédia. A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) informou que a JS Turismo é proprietária do veículo e não está autorizada a transportar passageiros.