Tribunal de Contas do Brasil exige planos de transformação digital de órgãos governamentais

Os órgãos do governo federal do Brasil foram solicitados a apresentar suas estratégias de transformação digital e os prazos nos quais planejam atingir seus objetivos, nos próximos três meses.

De acordo com o Tribunal de Contas da União, ao final de 2020 havia 90 agências e entidades do governo federal com planos de transformação digital aprovados – isso inclui todos os ministérios. No entanto, cerca de 100 organizações vinculadas ao governo federal ainda não possuem esses planos.

“Observou-se que as políticas de governança digital estão sendo implementadas gradativamente pelas secretarias responsáveis ​​pela introdução de políticas públicas aos planos digitais para transformar digitalmente seus serviços o máximo possível”, observou o relatório divulgado nesta quarta-feira (3).

O relator do processo, ministro Aroldo Cedraz, classificou a situação atual como “inaceitável”. Isso porque a transformação digital do governo federal é vista como fundamental para o Brasil como um todo, afirmou, e também para desburocratizar as relações entre o cidadão e o Estado.

O Tribunal de Contas concluiu que ainda há progressos a fazer pelos retardatários, onde os planos digitais em vários casos foram recentemente acordados ou estão ainda a ser negociados. Além disso, o relatório observou que ainda não há informações suficientes sobre a experiência dos usuários que interagiram com os serviços digitais atualmente disponíveis.

De acordo com números divulgados pela Secretaria de Governo Digital (DGS) do Ministério da Economia em janeiro, mais de 3.900 serviços governamentais (63% do portfólio geral de serviços) estão disponíveis online para os brasileiros por meio de um único gateway de login. Isso se compara aos menos de 2 milhões de usuários de serviços digitais há dois anos. O objetivo da Estratégia Nacional de Governo Digital é digitalizar totalmente os serviços governamentais até 2022.

Em dezembro de 2020, foi assinado um acordo entre o Brasil e o Reino Unido para acelerar a transformação digital e a inovação na prestação de serviços públicos. Na parceria, serão enfatizados aspectos como governança de dados e acessibilidade, bem como planejamento e implementação de projetos de digitalização e compartilhamento de conhecimento.

Source