UFC 260: Ngannou detona: “Vou lá nocautear. Espero vencer o Miocic muito rápido” | combate

O que você pode fazer em 2m42s? Comer um sanduíche? Beber uma cerveja? Escovando os dentes? Pode ser. Mas pouquíssimas pessoas nesse curto espaço de tempo puderam fazer o que o peso pesado camaronês Francis Ngannou fez: vencer quatro nocautes no UFC contra nomes como Curtis Blaydes, Cain Velásquez, Junior Cigano e Jairzinho Rozenstruik. A fase excepcional do gigante africano dá-lhe a certeza de que tem plenas condições de repetir o feito contra o atual campeão, o americano Stipe Miocic, que já o derrotou na primeira vez que se enfrentaram, no UFC 220, em 2018. Em In Em entrevista exclusiva ao Combate.com, Ngannou garantiu que mudou muito desde aquela luta até agora e, embora Miocic também tenha evoluído, acredita que teve mais espaço para se desenvolver do que o americano.

Francis Ngannou pode se tornar o primeiro campeão africano dos pesos pesados ​​do UFC – Foto: Getty Images

– Mudei tudo desde a primeira luta, e consegui ótimos resultados. Consegui treinar melhor e com mais comodidade para mim, agora estou treinando bem, me sinto mais saudável e muito bem, e mal posso esperar para ser liberado para caminhar em direção ao octógono da luta do próximo sábado. Sinceramente, não quero cometer o erro que cometi na primeira luta. Vou lá para nocautear e espero ganhar muito rápido. Não tenho outras expectativas além de vencer. É isso que me interessa: vencer. Não importa como. Não quero ocupar minha mente com nada que não seja meu objetivo principal nesta luta. Com certeza o Stipe também mudou desde a nossa luta, mas não sei o quê. Só sei que ele evoluiu, mas acredito que tive mais espaço para evoluir do que ele. Havia muitos buracos no meu jogo naquela época e muito espaço para corrigir o que estava errado. Eu não sabia como controlar algumas coisas, como tomar as decisões certas para conseguir o que queria. Embora tenha sido difícil tomar essas decisões, sei que fiz o que era certo para atingir meu objetivo.

A possibilidade de ser o primeiro campeão africano dos pesados ​​no UFC é vista por Ngannou como um grande peso para carregar nos ombros, mas que, segundo ele, pode ser o caminho que precisa ser trilhado para a glória, e também para ter o para contar às próximas gerações.

– Às vezes é meio estressante ter todo esse peso para carregar. Mas no final é o preço da grandeza. Será uma bela história para ser contada aos meus filhos e netos.

Questionado sobre os treinos com Kamaru Usman, o nigeriano campeão dos meio-médios do UFC, Ngannou disse que não puderam treinar muito porque Usman já tem luta marcada contra Jorge Masvidal e se prepara para isso. Mas ele garantiu que seu amigo estará em seu canto no sábado.

Stipe Miocic e Francis Ngannou lutam pela segunda vez, sábado, em Las Vegas – Foto: Getty Images

– Não tivemos muitas chances de treinar juntos, pois ele tem luta marcada. Kamaru já esteve comigo algumas vezes, tentou me dar alguns conselhos e estará do meu lado, que é o mais importante. Ele vai me guiar como um irmão, com toda a sua experiência de luta livre. Ele estará lá como um campeão.

Além de brilhar no MMA, Francis Ngannou tem desempenhado um papel importante como cidadão camaronês. O lutador criou a “Fundação Francis Ngannou”, uma fundação que visa dar oportunidades a crianças que, como ele, não têm perspectiva de vida no seu país.

– Sinto-me muito feliz com a minha fundação, porque é minha maneira não só de retribuir, mas também de ajudar essas crianças, que estão na mesma vocação que eu. Eu sei exatamente o que é estar na posição em que estão, não ter nenhuma chance na vida. Quero que saibam que terão uma chance, não importa de onde sejam. Eles poderão realizar seus sonhos, tendo a mim como exemplo, e como eu realizei meu sonho. Eu era como eles e não sou melhor do que eles. Somos todos iguais. A única diferença entre nós é que eu acreditei no meu sonho. Se eles acreditarem na deles, também terão sucesso. A fundação está indo muito bem, porque temos muitos voluntários. Somos uma organização sem fins lucrativos, vivendo de doações e oferecendo-nos para existir. Estamos progredindo. Hoje temos mais de 100 crianças em nossa sede e tento ajudá-los de todas as maneiras possíveis. Temos parceria com um hospital, que nos ajuda a dar atendimento médico a essas crianças, porque elas não têm acesso. Agora estamos planejando construir uma segunda sede, com uma academia e vamos precisar de voluntários para ensinar artes marciais de jiu-jitsu e boxe.

Joel Embiid, do MNA Philadelphia 76ers, é um dos ídolos do esporte de Camarões – Foto: Getty Images

Astro do esporte em seu país, ao lado do jogador de futebol Roger Milla e do basquete da NBA Joel Embiid, Francis Ngannou sabe que é um grande espelho para os jovens compatriotas, principalmente aqueles que buscam o MMA como esporte. O lutador tem procurado encontrar treinadores que queiram ir aos Camarões treinar os jovens de sua fundação para que, no futuro, o país tenha uma legião de atletas representando suas cores ao redor do mundo.

– O MMA está crescendo muito nos Camarões. O problema é que ainda não há oportunidades suficientes, como academias e locais para treinar. Também não temos treinadores de alto nível, por isso estou tentando encontrar treinadores que queiram ir aos Camarões, onde quer que estejam, para ensinar as crianças da fundação. O principal é que estamos motivando as pessoas, dando-lhes esperança. Não há muitos atletas de sucesso em nosso país, pois as oportunidades são quase inexistentes. Os poucos que tiveram sucesso servem de exemplo, porque as pessoas veem e sonham em ser como elas. Acho que é isso que tenho em comum com os grandes nomes do esporte camaronês. Somos exemplos e inspiramos nosso pessoal.

A conquista do cinturão de campeão do UFC, segundo Ngannou, será a realização do sonho do pobre menino na cidade de Batie, bem como o início de um novo capítulo em sua vida. Questionado sobre o legado que pretende deixar no MMA, Ngannou foi direto: ser o maior nocaute da história do UFC.

– O cinto é tudo para mim. Isso vai mostrar que sou o campeão mundial e terei realizado meu sonho, uma meta traçada há muito tempo. Não sei como explicar, mas acredito que seja o fim de um capítulo e o início de outro. Quero ter mais nocautes no peso pesado e em qualquer categoria.

O Combate transmite o UFC 260 ao vivo e exclusivamente neste sábado a partir das 20h10 (horário de Brasília). O SporTV 3 é o Combat.com mostra a “Aquecimento de Combate“e as duas primeiras partidas ao vivo ao mesmo tempo; o site rastreia todo o evento em tempo real.

UFC 260
27 de março de 2021, em Las Vegas (EUA)
CARTÃO PRINCIPAL (23:00 GMT):
Peso pesado: Stipe Miocic vs. Francis Ngannou
Peso médio: Tyron Woodley x Vicente Luque
Peso galo: Sean O’Malley x Thomas Almeida
Peso mosca: Gillian Robertson x Miranda Maverick
Peso leve: Jamie Mullarkey vs. Khama Worthy
CARTÃO PRELIMINAR (20h30 horário de Brasília):
Peso pesado: Alonzo Menifield vs. Fabio Cherant
Peso médio: Jared Gooden x Abubakar Nurmagomedov
Peso pesado: Modest Bukauskas vs. Michal Oleksiejczuk
Peso pena: Shane Young x Omar Morales
Peso médio: Marc-André Barriault x Abu Azaitar

Assine o Combate Play e assista o Combat em qualquer lugar!

Source