Vitol fecha acordo com governo dos EUA para evitar processo por suborno de petróleo no Brasil


FOTO DO ARQUIVO: Uma placa é retratada na frente do prédio da empresa de comércio de commodities do Vitol Group em Genebra, 4 de outubro de 2011. REUTERS / Denis Balibouse / Foto do arquivo

(Reuters) – A subsidiária da Vitol SA nos Estados Unidos assinou um acordo de prorrogação com o governo dos Estados Unidos por causa de duas acusações de supostas violações da Lei de Práticas de Corrupção no Exterior, disse um promotor a um juiz dos EUA em Brooklyn na quinta-feira.

A polícia brasileira investiga há anos o amplo escândalo ‘Lava Jato’ envolvendo o uso de propina para ganhar contratos envolvendo a estatal Petróleo Brasileiro SA (Petrobras).

Em outubro, a polícia expandiu a investigação na Petrobras com base em parte em gravações secretas feitas por um ex-executivo da trading suíça Vitol SA, de acordo com documentos judiciais.

A subsidiária da Vitol nos Estados Unidos admitiu ter pago subornos entre 2005 e 14 envolvendo a Petrobras. Em troca dos subornos, a Vitol obteve informações sobre as licitações de concorrentes para comercialização de petróleo da Petrobras.

Uma porta-voz da Vitol disse que a empresa não fez comentários imediatos. No passado, disse que tem uma política de tolerância zero para suborno e corrupção.

A Petrobras não retornou pedido de comentário.

Os promotores brasileiros anunciaram no final de 2018 que estavam investigando os negócios de petróleo da Petrobras com corretoras, incluindo as maiores negociadoras de petróleo do mundo – Vitol, Trafigura e Glencore.

Vitol SA é o maior negociante de petróleo independente do mundo, negociando cerca de 8 milhões de barris de petróleo por dia.

Reportagem de Tom Hals em Wilmington, Delaware; Reportagem adicional de Julia Payne e Gram Slattery; Edição de Chris Reese e Rosalba O’Brien

.